Pular para o conteúdo principal

"Volta ao trabalho tem que ser através de negociação", diz Juvandia

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Juvandia defende que o retorno tem que ser negociado com o Comando, assim como foi feito quando os funcionários foram colocados em home office

A presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira, disse em live realizada na noite desta quarta-feira (22) que a Caixa pretende chamar os empregados dos Centros Administrativos de volta ao trabalho. Juvandia contestou o posicionamento do Banco Público, de que seria de forma voluntária.

“Estamos com a informação que a Caixa quer chamar os administrativos de volta, que é voluntário. Não vamos aceitar isso e para voltar ao trabalho tem que ser através de negociação. Não vamos permitir que a Caixa, a mando do governo, faça as pessoas voltarem”, disse.

Durante a live, Juvandia falou sobre as filas nos bancos. A procura por informações sobre o auxílio emergencial tem levado a população a uma corrida pelas agências.

“Tivemos uma reunião com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o atendimento nas agências foi o ponto central, com foco nas filas gigantes da Caixa. Chegou-se a um consenso que muita gente vai na agência buscando informação, mas o problema é como o governo centralizou o decreto”, disse.

Descentralização

Para a presidente da Contraf, o governo erra em não envolver estados e municípios para descentralizar o atendimento do auxílio emergencial. “O governo não trabalha com colaboração, trabalha com disputa. Ele não fez debate com movimento social e, ao não fazer, gerou filas imensas e o problema está ai em fazer do jeito que fez”, ressaltou.

Ainda em relação às filas nas agências bancárias da Caixa, Juvandia criticou a falta de coordenação do governo, o qual caberia a ele, esse papel. “Do jeito que está hoje, é só fila. É impossível que empregados da Caixa consigam dar conta. Estão fazendo um trabalho heroico, mas o governo tem que reparar o decreto. Cada um está fazendo o que pode”.´

Confira o ao vivo:

Leia também:

“Vamos passar de 17 milhões de desempregados em dezembro”, estima diretor do Dieese
Caixa: Abertura das agências em sábados e feriados amplia riscos para todos