Pular para o conteúdo principal

Unicamp: Seminário busca soluções para lidar com o adoecimento mental de trabalhadores

Imagem
Arquivo de Imagem
adoecimento mental dos bancários

Deprimido por ter sido submetido a metas abusivas, gritos e humilhações diárias durante seus últimos anos de vida laboral, um bancário mineiro de 50 anos recebeu recentemente uma indenização de R$ 1,2 milhão. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo - que publicou a informação - o bancário que ganhou o processo contra a instituição financeira está aposentado por invalidez.

Apesar do pagamento de indenizações milionárias a trabalhadores vítimas de assédio no Brasil, a história do bancário é mais comum do que se imagina. Segundo Mauro Salles, secretário de Saúde do Trabalho da Contraf-CUT, "Os bancos, com as metas abusivas, pressão por resultados e assédio moral, são responsáveis por grande parte do sofrimento e adoecimento dos bancários".

Ministério Público do Trabalho se une a Unicamp em defesa da saúde do trabalhador

Frente a essa realidade - que vêm esmagando os bancários e trabalhadores de outras áreas - a Contraf/CUT participará nesta terça (24) e quarta-feira (25) do Seminário Sofrimento Mental e Morte entre Trabalhadores e Trabalhadoras – Transtornos Mentais e Suicídios Relacionados ao Trabalho, na cidade de Campinas (SP).

O evento é organizado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e conta com o apoio de entidades como a Central Única dos Trabalhadores (CUT). O seminário será realizado no formato híbrido - presencial e online. Para acompanhar, basta acessar o canal do MPT Campinas no YouTube.

Leia também:
- 11º Congresso dos Bancários do DF: Sistema financeiro sequestra a economia brasileira, afirma Kleytton Morais
- "Há um aumento significativo de bancários com sintomas ansiosos, depressivos", afirma especialista

Participações

Pesquisadores do universo do trabalho e da saúde mental da Unicamp, da USP e do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômico (Dieese), debaterão com representantes sindicais as estratégias para contribuir com o aperfeiçoamento do Sistema Único de Saúde (SUS) no atendimento de saúde mental dos trabalhadores.

Nomes como Vincent de Gaulejac - sociólogo francês do Laboratório de Mudança Social, de Paris, e o professor Ricardo Antunes, um dos principais pensadores da sociologia do trabalho no Brasil, estarão lado a lado com Mauro Salles e outros representantes de classe, como de petroleiros, professores, aeroviários, de plataformas e policiais.

A programação completa do evento está disponível aqui. Para acompanhar a transmissão do evento na terça-feira clique aqui e na quarta-feira clique aqui.

Com informações da Contraf-CUT e Folha de S. Paulo