Pular para o conteúdo principal

"Um novo choque de custos para a inflação no Brasil", aponta FGV sobre as consequências da guerra entre Rússia e Ucrânia

Imagem
Arquivo de Imagem
Guerra Rússia Ucrânia

O Indicador de Comércio Exterior (Icomex) elaborado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) mostra os principais impactos da guerra entre a Rússia e a Ucrânia para o Brasil. O indicador foi divulgado recentemente.

O levantamento dos primeiros dois meses de 2022 - janeiro e fevereiro - mostra que a guerra fez com que o preço das importações aumentasse, seguindo uma tendência já em curso de alta no preço das commodities que já vinha desde o início da pandemia. Além disso, o Icomex ressalta que a guerra também está levando países a adotar uma série de medidas protecionistas, principalmente na área agícola, e também a criar estratégias para reduzir a dependência dos seus estados de cadeias globais de valor.

O papel de Ucrânia e Rússia no comércio internacional

O Icomex ressalta que os dois países em guerra respondem por 53% do comércio global de óleo de sementes de girassol e 27% do trigo. Não bastasse o gigantismo agrícola, a Rússia ainda é a principal fornecedora de gás para a Alemanha, maior economia do bloco, e para outros países da região.

Leia também:
- Nem Casa, Nem Vida - a política de habitação e o apartheid social
- Os perigos da eleição de um Congresso ruim: saiba como um parlamento que vota contra o meio ambiente afeta sua vida

Com a possiblidade de falta dos insumos importados dos dois países eslavos, a Organização Mundial de Comércio (OMC) identificou uma tendência de outros estados que produzem os mesmos produtos de proteger suas produções. Os exemplos utilizados pelo Icomex são as medidas restritivas adotadas pela Indonésia sobre o óleo de palma, e a introdução de um imposto sobre as exportações de óleos vegetais da Argentina.

O boletim do Ibre/FGV aponta ainda que para o Brasil, as principais consequências da guerra até agora estão ligadas a oferta de fertilizantes, ao preço das commodities e ao aumento do preço do petróleo, que afeta o preço da gasolina e do diesel.

Gasolina, trigo e a projeção de mais um aumento da inflação

"[A] guerra se traduz em um novo choque de custos para a inflação no Brasil", informa o boletim. O documento também explica que é um novo choque pois desde 2021 a inflação no País já vem subindo. Por causa do aumento mundial das commodities, a comida ficou mais cara no carrinho de merccado do brasileiro.

Porém, com o possível aumento do trigo e a escalada do preço do petróleo, a coisas podem ficar ainda mais difícieis no País. O Banco Central já avisou, após a reunião do seu Comitê de Política Monetária (Copom), que o Brasil deverá estourar a meta de inflação projetada para atingir 4,7% em 2022, deve atingir 7,1%. Isso leva o Brasil a estourar a meta de inflação pelo segundo ano consecutivo.