Pular para o conteúdo principal

Trabalhadores ecetistas repudiam pedido de urgência para votação do PL de privatização dos Correios

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

A Câmara dos Deputados deve votar, nesta terça-feira (20), pedido de urgência para o Projeto de Lei (PL) nº 591/2021, que trata da privatização dos Correios. O requerimento foi apresentado pelo deputado Hugo Motta (Republicanos/PB) para apreciação do projeto.

Faça parte do nosso canal Telegram.
Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

A Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) repudiou, em nota, a atitude do governo. Segundo a entidade, o cerco contra os Correios se fechou ainda mais na noite de ontem (19), quando o presidente da Câmara, deputado federal Arthur Lira, sob pressão do governo de Jair Bolsonaro, decidiu passar por cima das comissões e antecipar a votação do requerimento de urgência sobre o PL 591 que trata sobre a privatização dos Correios.

“Bolsonaro movimenta sua tropa de choque para avançar com a agenda privatista e tem como prioridade atacar os Correios. Isso significa que a base do governo quer acelerar a votação desse projeto nefasto para entregar o patrimônio público e o serviço postal brasileiro nas mãos do capital privado”, critica a Fentect em nota.

Por conta disso, a Federação está fazendo uma forte mobilização nas redes sociais contra o projeto privatista, a fim de pressionar os parlamentares a barrar a venda dos Correios.

O Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares de São Paulo, Grande São Paulo e zona postal de Sorocaba (Sintect-SP), também está nesta luta. A entidade disponibilou uma página onde é possível acessar a lista de parlamentares de cada estado e enviar mensagens pressionando para que votem contra a venda dos Correios. Acesse aqui.

Leia também:
Privatização dos Correios: o que o Brasil perde?
Bolsonaro decreta a inclusão dos Correios no Programa Nacional de Desestatização