Reconta Aí Atualiza Aí Trabalhadores dos Correios fazem ato nacional nesta sexta-feira (11)

Trabalhadores dos Correios fazem ato nacional nesta sexta-feira (11)

Os trabalhadores dos Correios estão em greve desde o dia 17 de agosto. A mobilização é nacional contra a retirada de direitos, em defesa da vida e dos empregos, e contra a privatização dos Correios.

Nesta sexta-feira (11), será realizado um ato nacional em defesa dos direitos da categoria, atacados pela gestão do General Floriano Peixoto, presidente da empresa, e contra a privatização da estatal.

A atividade antecede uma reunião de conciliação entre os Correios e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos (Fentect-CUT), que deve acontecer na tarde desta sexta-feira, às 15h, no Tribunal Superior do Trabalho (TST). A audiência de conciliação foi convocada pela ministra Kátia Arruda.

O ato principal, que convocará a categoria para reforçar a greve, será realizado pela manhã em frente ao prédio-sede dos Correios, em Brasília.

Segundo o secretário de Comunicação da Fentect-CUT, Emerson Marinho, trabalhadores de outras categorias devem participar do ato, reforçando o movimento.

“Essa mobilização é importante e reforça o movimento grevista reafirmando nossa luta em defesa dos nossos direitos e contra a privatização dos Correios”, disse Marinho.

As reivindicações por direitos que já eram dos trabalhadores

O salário inicial da maior parte dos trabalhadores dos Correios é de R$ 1.700,00, o menor entre todas as empresas públicas do Brasil. Os ecetistas conseguiram uma série de direitos – que foram retirados pela diretoria – e que fazem parte das reivindicações da categoria para voltarem da greve.

Veja quais são as reivindicações:

– Plano de saúde;
– Vale cultura;
– Anuênio; 
– Adicional de atividade de distribuição e coleta (AADC);
– Adicional de atividade de tratamento (AAT);
-Adicional de atividade de guichê (AAG);
– Possibilidade de alteração da data do dia do pagamento;
– Auxílio de dependentes com deficiência;
– Pagamento de 70% a mais da hora normal quando há hora extra trabalhada;
– Reembolso creche;
– Pagamento de 70% das férias;
– Aumento no compartilhamento do ticket;
– Licença maternidade de 180 dias;
– Fim da entrega matutina;
– Garantia de pagamento durante afastamento pelo INSS;
– Ticket nas férias;
– Ticket nos afastamentos por licença médica; 
– Vale alimentação; 
– Manutenção da cláusula sobre acidente de trânsito para os motoristas;
– Indenização por morte;
– Garantias do empregado estudante;
– Licença adoção;
– Acesso às dependências pelo sindicato; 
– Atestado de acompanhamento; 
– Fornecimento de Cat/ Lisa;
– Itens de proteção na baixa umidade;
– Reabilitação profissional; 
– Adicional noturno;
– Repouso no domingo; 
– Jornada de 40hs; 
– Pagamento de 15% aos sábados.

Com informações da CUT

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial