Pular para o conteúdo principal

Taxa Selic em alta: é hora de tirar o dinheiro da poupança?

Imagem
Arquivo de Imagem
poup_selic

O aumento da taxa básica de juros, ou taxa Selic, é visto com preocupação por economistas. Isso acontece porque quando a Selic sobe, os grandes investidores têm um incentivo a mais para tirar seu capital do setor produtivo - que gera empregos - e colocá-lo para render em aplicações do mercado financeiro, que não mobilizam a economia real.

Contudo, o aumento da taxa Selic pode beneficiar também pessoas que têm pequenas economias, seja na poupança ou em outro tipo de aplicação financeira. Em entrevista ao Reconta Aí, o economista Fernando de Aquino, Conselheiro Federal e coordenador da Comissão de Política Econômica do Conselho Federal e Economia (Cofecon), fala mais sobre o tema.

Reconta Aí - A taxa Selic tem subido a cada reunião do Copom. No que isso é ruim para o Brasil?

Fernando de Aquino - A taxa Selic é a taxa de juros que o Banco Central (BC) cobra por empréstimo de um dia para os bancos. Então é uma taxa muito específica, por um prazo muito curto, mas que influencia as taxas de juros em geral. Então, muitas taxas de juros para outras operações também sobem quando a Selic sobe.

A consequência é que as pessoas tenham um custo maior para comprar bens e serviços financiados. A partir daí, ou a pessoa paga uma prestação maior ou acaba não conseguindo comprar ou desistindo de comprar por achar que não vale à pena. Com as pessoas comprando menos, as empresas passam a produzir menos e precisando de menos empregados, então vão dispensar uma parte dos empregados, e esses empregados ficarão sem renda para consumir... Então, as famílias deles comprarão menos, o que reduzirá ainda mais a produção, gerando mais demissões e assim por diante.

É por isso que dizemos que o aumento da taxa Selic é ruim para a economia.

Reconta Aí - Ainda assim, o aumento da taxa Selic pode beneficiar quem tem um dinheirinho guardado?

Fernando de Aquino - Por outro lado, quem tem algum dinheiro sobrando pode aproveitar o aumento da taxa Selic pois ela aumenta a remuneração de várias aplicações financeiras. E, quem tem pouco dinheiro e pouco entendimento sobre o mercado financeiro, deve escolher uma aplicação com menor risco. Com isso, não se expõe à perda do dinheiro investido e nem um rendimento muito abaixo do que poderia ter. Assim, muitas vezes, as pessoas optam pela caderneta de poupança, que é um rendimento bem tradicional, muito seguro e que a pessoa não perderá dinheiro nunca.

Porém, o rendimento atual da caderneta de poupança está abaixo de outros tipos de aplicação, que podem ser tão seguras quanto a poupança. Mas por a taxa Selic estar em um nível bastante alto, elas tendem a render mais.

Reconta Aí - Quais são os investimentos de baixo risco em que é possível deixar o dinheiro rendendo com tranquilidade?

Fernando de Aquino - Por exemplo, existe o Tesouro Direito, que a pessoa pode fazer no banco mesmo. Alguns deles cobram uma taxa baixa para prestar o serviço - outros nem cobram - mas, no geral, os gerentes não têm interesse em oferecer esse tipo de aplicação porque os bancos não vão ganhar muito com o investimento do correntista. Porém, para os clientes, é uma boa alternativa.

Existe também outra modalidade de investimento seguro que são títulos do Tesouro Direto, que se chama Tesouro Selic. Atualmente, esse investimento seria o mais indicado porque oferece nenhum risco do cliente perder. Há ainda outras modalidades de títulos do Tesouro Direito, mas com elas podem acontecer a perda de uma parte do que a pessoa aplicou se for preciso retirar o investimento antes do prazo.

Então, para as pessoas que não estão acompanhando o mercado financeiro, não entendem tão bem a situação e podem precisar resgatar o recurso da aplicação antes de o título vencer, o Tesouro Selic é a melhor alterntiva.

Nas outrs alternativas, como pré-fixados e Tesouro IPCA, se o cliente precisar resgatar antes, ele pode resgatar menos do que aplicou. Existe esse risco.

Reconta Aí - Vale à pena não colocar todos os ovos na mesma cesta, ou seja, dividir o capital em diferentes investimentos mesmo quando o montante é pequeno?

Fernando de Aquino - Essa regra de não colocar todos os ovos na mesma cesta serve aos que vão fazer aplicações de risco. Dessa forma, com a diversificação de aplicações, existe uma diminuição dos riscos. Mas, no caso de alguém que tem uma aplicação sem risco, o que se deve observar é qual das aplicações financeiras sem risco está rendendo mais. A regra iria por aí.

Deixar o dinheiro na poupança é perder dinheiro nesse momento?

Fernando de Aquino - No caso do Tesouro Selic, por exemplo, se a pessoa aplicasse seu dinheiro por um ano - sem que a taxa tivesse alteração - a pessoa ganharia 9,7% já descontado o imposto de renda. Enquanto isso, na poupança, a pessoa ganheria 7,4% e não pagaria imposto de renda.

Mesmo pagando o imposto de renda, o Tesouro Selic renderia bem mais, se a Taxa Selic não se alterasse. No caso de subida da taxa, o rendimento será maior, se a taxa cair, será menor.

Leia também:
- Os perigos da eleição de um Congresso ruim: saiba como um parlamento que vota contra o meio ambiente afeta sua vida
- Banco Central eleva projeção da inflação de 2022