Segundo pesquisa global da Ipsos, “What Worries the World”, o brasileiro está mais triste e preocupado com a violência, saúde e desemprego.

O brasileiro está triste, mas foi sempre assim?
Mas pra fazer um samba com beleza
É preciso um bocado de tristeza
É preciso um bocado de tristeza
Senão, não se faz um samba não

Realizada em 28 países, a pesquisa compara não só o nível de felicidade, mas também os motivos da tristeza em cada uma das nações. A tristeza dos brasileiros é acompanhada por 58% dos habitantes dos 28 países pesquisados. Esse é o percentual global de pessoas que acham que seu país está no caminho errado.

Voltando ao Brasil, 59% da população acredita que o país está tomando o caminho errado. Já 61% dizem-se extremamente felizes ou felizes. O resultado parece alto, porém, se comparado à mesma pesquisa realizada no ano passado, mostra uma queda de 12 pontos percentuais.

Cada pesquisado pode responder aos três aspectos mais preocupantes no país. As respostas tiveram como resultado o seguinte panorama:

  • Crime e violência: 47%
  • Sistema de Saúde: 46%
  • Desemprego: 39%
  • Corrupção: 38%
  • Educação: 36%

Segundo entrevista da diretora da Ipsos, Sandra Pessini, à BBC : “Existe uma correlação bem forte entre a confiança na economia e a percepção de felicidade. E a demora na retomada econômica impacta muito a vida e o dia a dia das pessoas.”

A estagnação econômica explica parte da tristeza. Houve aumento da preocupação dos brasileiros com o desemprego, a inflação, com o risco de extremismo e com a diminuição de programas de assistência social.

Ameaças ao meio ambiente e mudanças climáticas também passaram a chamar a atenção dos brasileiros, contrastando com a queda na preocupação com impostos e terrorismo.

Triste Brasil

A pesquisa realizada pela Ipsos corrobora outro ranking sobre sentimentos, o da ONU. Segundo a Organização das Nações Unidas em pesquisa de março de 2019, o Brasil caiu quatro posições em relação a 2018, quando esteve no 28º lugar no Relatório Anual da Felicidade.

Mesmo utilizando uma metodologia diferente da adotada pela Ipsos, os resultados são complementares. Dados como Produto Interno Bruto, assistência social, expectativa de vida são contabilizados pela organização internacional e não são pela empresa de pesquisa. Ainda assim, ambas mostram queda de contentamento do povo brasileiro.

Atualiza Aí


Afinal, por que é tão importante que a gestão do FGTS continue com a Caixa Econômica?

A MP 889/19, apresentada ao Congresso Nacional pelo governo Bolsonaro, permite que a gestão do FGTS seja realizada por bancos privados. Mas o que isso significa? A gente explica!

Nobel de Economia vai para pesquisas de combate à fome

Comunicado do Comitê do Nobel diz que pesquisas “melhoraram consideravelmente a capacidade de combater a pobreza global”. Premiados são Abhijit Banerjee e Michael Kremer e Esther Duflo.

Pela primeira vez, Pronaf concede crédito para o manejo florestal comunitário familiar

Pela primeira vez, Pronaf destina crédito para Manejo Florestal Comunitário Familiar. Montante de R$ 850 mil vem do Banco da Amazônia (BASA)

Frente Parlamentar lança amanhã (15) estudo sobre reforma administrativa

Objetivo é fazer uma discussão equilibrada sobre o que está sendo elaborado pelo governo federal.

Multimídia


Afinal, por que é tão importante que a gestão do FGTS continue com a Caixa Econômica?

A MP 889/19, apresentada ao Congresso Nacional pelo governo Bolsonaro, permite que a gestão do FGTS seja realizada por bancos privados. Mas o que isso significa? A gente explica!

Flávio Dino ressalta a necessidade de uma reforma tributária

Flávio Dino (PCdoB/MA) esteve presente no lançamento da proposta de Reforma Tributária Justa, Solidária e Sustentável que ocorreu ontem em Brasília.

Reforma tributária da oposição quer tornar mais justa a cobrança de impostos no País

O lançamento da Reforma Tributária Justa, Solidária e Sustentável mostra que os partidos da oposição começaram a propor saídas para o Brasil.