O limite máximo de saque imediato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) passou de R$ 500 para o valor do salário mínimo, que é R$ 998.

O Congresso aprovou e o presidente Jair Bolsonaro sancionou hoje (12) a Medida Provisória (MP) que libera saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Com as mudanças das casas legislativas, o valor máximo do saque imediato por conta ativa ou inativa do FGTS subiu de R$ 500 para R$ 998 – o valor do salário mínimo.

A medida foi publicada na edição desta quinta-feira (12) do Diário Oficial da União (DOU).

Quem já sacou os R$ 500 pode retirar os R$ 498 restantes até 31 março de 2020. Mas, atenção, o trabalhador que tiver mais do que R$ 998 na conta, fica limitado ao saque de R$ 500.

Por telefone, a assessora da CEF informou que divulgará um novo calendário de saques nesta sexta-feira (13).

Leia mais: Saiba como solicitar o desfazimento do crédito automático do FGTS

O que muda com a MP aprovada pelo Congresso

A Medida Provisória foi aprovada pelo Senado em novembro e o aumento do valor do saque imediato foi proposto na Câmara pelo deputado Hugo Motta (Republicanos-PB).

A medida também institui a modalidade do saque-aniversário, em que o trabalhador pode retirar recursos do fundo, anualmente, no mês de seu aniversário.

No entanto, quem opta por essa opção, que estará disponível a partir de 2020, fica sem direito à multa em caso de demissão sem justa causa.

Antes de a lei entrar em vigor, os recursos do fundo só podiam ser sacados em casos específicos, como compra da casa própria, aposentadoria e demissão sem justa causa.

O FGTS é importante para todos os brasileiros

A Caixa Econômica Federal é gestora única do fundo e, desde a sua criação, em 1966, tem a função primordial de financiar políticas de saneamento e infraestrutura.

Desde que foram anunciados os saques do FGTS, especialistas têm se preocupado com a desidratação do fundo e com o fim de políticas sociais que dependem desse subsídio, como o Minha Casa, Minha Vida.

Do outro lado, o governo se preocupa em movimentar a economia. A expectativa é movimentar até R$ 3 bilhões ainda este ano.

Em caso de dúvidas, o trabalhador por consultar o site do FGTS, acessar o app do FGTS (disponível para Android e iOS) ou entrar em contato com o telefone exclusivo disponibilizado pela Caixa: 0800 724 2019.



A injeção de recursos na economia com a antecipação de saques das contas ativas e inativas do FGTS e o pagamento do 13º para os beneficiários do programa Bolsa Família têm sido destaque na imprensa nos últimos dias.

De um lado, o governo comemora um “Natal melhor” para o comércio com esses recursos. Do outro, a ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, criticou – em um post feito em sua página no Facebook – o 13º do Bolsa Família.


Segundo ela, a MP não criou o 13º do Bolsa Família. Deu um “abono” que será pago somente em 2019. “Ou seja, veio com um ano de atraso e não cumpriu a promessa”.

“Jair Bolsonaro anunciou a medida provisória, segundo ele, “que cria o 13° do Bolsa Família, que será pago [a] partir deste ano, com recursos oriundos do combate às fraudes no programa”, diz.

Tereza alerta para o fato de que o abono só está garantido para o ano de 2019, não previsto no orçamento do ano que vem. E que esse dinheiro vem às custas de 700 mil famílias que esperam para entrar o programa e deveriam ser priorizadas em um momento de crise.

O Senado Federal aprovou, na noite desta quarta-feira (21), o texto da Medida Provisória 881/19, chamada de “MP da Liberdade Econômica” pelo governo e “minirreforma trabalhista”, pelos críticos da proposta. Dada a necessidade de rápida tramitação (o prazo final é no próximo dia 27), os senadores concordaram em retirar o ponto mais controverso da proposta: a liberação do trabalho aos domingos e feriados.

O texto flexibiliza o registro de ponto, adotando a hora trabalhada por exceção, ou seja, o ponto só será necessário para registrar hora extra, atraso, folga, férias e falta, etc. A medida também autoriza a abertura de agências bancárias aos sábados, o que não é permitido hoje, afetando diretamente os trabalhadores dos bancos. No entanto, até o ano que vem, a categoria está resguardada pelo acordado em convenção coletiva, sem trabalho nos finais de semana.

Como nada foi acrescentado ou modificado no texto pelo Senado, a medida vai diretamente para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

O Banco do Brasil divulgou nesta segunda (5) o cronograma para saque do
Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep).

O depósito será feito automaticamente para correntistas do Banco do Brasil, em 19 de agosto. Para quem possui contas em outras instituições financeiras, quem tiver a receber até R$ 5 mil poderá receber por TED (Transferência Eletrônica Disponível) sem cobrança de taxas.

Para os demais cotistas (herdeiros ou portadores de procuração), o saque poderá ser feito diretamente em agências do Banco do Brasil.

Consulte se tem direito aqui.

Atualiza Aí


“Teremos uma juventude que vai envelhecer completamente desprotegida”

De outro lado, a informalidade também dificultará o pagamento das pensões e benefícios até mesmo daqueles que contribuíram ao longo da vida. A constatação é do economista Sérgio Mendonça, ao analisar os impactos da precariedade no cenário nacional.

Governo prevê estrangular serviços para forçar reforma

A não realização dos concursos pode fazer com que parcelas dos atuais servidores não só se oponham ao projeto, mas também passem a apoiá-lo.

Mercado segue desaminado com a economia brasileira

Relatório Focus, divulgado nesta segunda-feira (17), mostra que a previsão do mercado sobre a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) caiu para 2,23%.

Multimídia


Entidades se reúnem em defesa do estatuto da Funcef

Entidades entregaram ao Conselho Deliberativo da Funcef uma petição com 21,7 mil assinaturas de aposentados de todo o País.

Sérgio Mendonça: o papel dos Bancos Públicos na economia

Economista Sérgio Mendonça participou do programa Crivelli Convida com o advogado Ericson Crivelli.