Equipe econômica do governo Bolsonaro estuda acabar com a multa rescisória de 40% sobre a contribuição ao FGTS para trabalhador demitido sem justa causa.

Inspirado em reality show, governo pensa em trabalhador demitido sem direitos na vida real.

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um direito fundamental do trabalhador, foi adquirido e é garantido pelo art. 7º da Constituição Federal de 1988. Consiste no recolhimento de um valor feito pelo empregador em uma conta específica aberta em nome do empregado junto a Caixa Econômica Federal.

Ele foi criado como uma alternativa à estabilidade no emprego. O empregado podia optar pelo regime que mais lhe beneficiasse: o FGTS ou a estabilidade, segundo a Constituição de 1946 e pelos artigos 492 a 500 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

No ano de 2001, como forma de repor as perdas inflacionárias do fundo frente ao seu rendimento, foi instituída uma multa de 40% sobre o recolhimento desse valor destinados aos empregados demitidos sem justa causa. Além disso, o empregador deveria também pagar 10% a cada cinco anos trabalhados pelo empregado ao governo.

Fui demitido. E agora José?

Com a extinção do valor pago como indenização aos empregados demitidos sem justa causa, a desproteção completa do trabalhador fica à mostra. O governo cria uma ilusão de que o desemprego no Brasil é grande pois há muitos direitos, porém, ações como a aprovação da Reforma Trabalhista mostram que esse argumento não se sustenta.

Além da desproteção do trabalhador demitido, o governo ainda abre mão de um Fundo cuja aplicação em políticas públicas e programas governamentais é funamental para o Brasil, já que visam o desenvolvimento econômico e social.

Se a medida não gera empregos, não beneficia os trabalhadores e trabalhadoras e nem melhora o caixa do estado, qual a explicação de uma medida como essa? As críticas feitas já fizeram o Presidente da República recuar uma vez, mas as possibilidades continuam sendo analisadas pela equipe econômica. É bom ficar de olho!


Atualiza Aí


Caixa Cultural de São Paulo tem programação especial para o Carnaval

Oficina “Carnaval na Caixa – da história à confecção de adereços” acontece de 22 a 25 de fevereiro, às 9h30 e 14h30. A entrada é gratuita.

Carnaval: veja como fugir de golpes com seu cartão de crédito

Cuidado com o golpe! Muitas quadrilhas aproveitam as multidões e a distração dos foliões para trocar os cartões de crédito no momento dos pagamentos.

Tensões entre Guedes e Bolsonaro marcam começo de 2020

Como pano de fundo, houve divergências sobre o conteúdo e o ritmo de apresentação da agenda econômica do governo neste ano.

Multimídia


Entidades se reúnem em defesa do estatuto da Funcef

Entidades entregaram ao Conselho Deliberativo da Funcef uma petição com 21,7 mil assinaturas de aposentados de todo o País.

Sérgio Mendonça: o papel dos Bancos Públicos na economia

Economista Sérgio Mendonça participou do programa Crivelli Convida com o advogado Ericson Crivelli.