Pular para o conteúdo principal

Tá tudo caro: Alimentos tradicionais no Natal podem desaparecer da ceia dos brasileiros

Imagem
Arquivo de Imagem
CEIA DE NATAL

Dezembro ainda não chegou, mas parte da população já está chocada com o preço de um dos alimentos mais tradicionais  da ceia de Natal no Brasil, o peru. Em imagem que rodou a internet recentemente, era possível ver um freezer com as aves custando até R$ 400.

Imagem: reprodução

Ainda que o preço do peru da imagem não seja o mesmo encontrado nas redes de supermercados de abrangência nacional - em que um peru congelado de 3,8kg está saindo por cerca de R$ 105,00 - o valor da ceia começou a virar preocupação entre a classe média. Segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), só até outubro, a cesta com os principais alimentos de Natal dos brasileiros aumentou 5,91%. Ela passou de R$ 309,86 em dezembro de 2020, para R$ 328 em 17 em outubro de 2021 - última data em que o valor foi divulgado.

O que compõe a cesta e os itens de Natal?

Existe uma variação muito grande dos produtos mais consumidos no Natal nas diferentes regiões do Brasil. Porém, segundo o analista técnico do IPC/Fipe Marcelo Pereira, a Fipe tem por base o consumo da cidade de São Paulo. No mesmo senntido, Pereira explica a diferença entre a cesta de Natal e os itens de Natal: "A cesta é baseada nos produtos que caracterizam a cesta de Natal vendida nos supermercados ou dada pelas empresas aos funcionários no final do ano. Já os itens de Natal são aqueles tradicionalmente comprados e consumidos pelas famílias na mesma data".

A cesta da pesquisada anualmente tem 15 produtos:

  • Lombo de porco com osso (bisteca) kg;
  • Azeite de oliva extra virgem vidro 500ml;
  • Queijo ralado 100g;
  • Macarrão  espaguete 500g;
  • Molho de tomate 340g;
  • Palmito inteiro tipo pupunha 300g;
  • Azeitona verde com caroço 500g;
  • Vinho tinto 750 ml;
  • Suco néctar de laranja 1 litro;
  • Suco néctar de pessego 1 litro;
  • Bombom cx 251g;
  • Atum sólido 170g   
  • Peru kg;
  • Champagne  660 ml;
  • Panetone frutas cristalizadas 500g. 

Já os itens de Natal são 11:

  • Pernil com osso kg;
  • Filé mignon kg;
  • Sorvete kg
  • Bacalhau kg;
  • Uva kg (feira);
  • Farofa kg;
  • Bolo pronto kg;
  • Picanha kg;
  • Chester kg;
  • Morango caixa (feira);
  • Pêssego kg (feira).  

De quanto foi o aumento?

Entre os produtos da cesta, os que mais subiram de preço foram o panetone (25,96%); azeitona (21,91%); caixa de bombons (12,83%) e o queijo ralado (9,04%). Somente três produtos tiveram queda de preço em relação ao ano passado: suco de laranja (-4,58%); vinho tinto (-4,29%) e do lombo de porco (-0,53%).

Já entre os ítens de Natal, quem puxou a fila do aumento foi o filé mignon (35,17%). Porém, outros produtos também tiveram aumentos expressivos de preço, como foi o caso do morango (25,35%), da farofa (13,45%) e do bacalhau (12,34%). A única queda registrada entre os itens foi a do lombo de porco (-9,76%).

Perguntado sobre uma projeção para o Natal deste ano, Pereira afirmou: "Ainda não é possível passar uma previsão numérica, mas a tendência é um aumento da variação devido aos preços do peru, chester, lombo e pernil".