Pular para o conteúdo principal

Somente 11% dos brasileiros têm renda para pagar contas de início de ano

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Pesquisa da CNDL/SPC Brasil revela que 22% dos entrevistados não fizeram planejamento para pagar contas sazonais

Levantamento CNDL/SPC Brasil revela que somente 1 em cada 10 consumidores têm condições de pagar as contas sazonais com os próprios rendimentos.

O mês de janeiro chega e com ele várias contas extras para pagar. Levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que apenas 1 em cada 10 consumidores brasileiros tem condições de pagar as despesas sazonais deste período com os próprios rendimentos.

A pesquisa mostra ainda que 22% dos entrevistados não fizeram qualquer planejamento para pagar contas como Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e material escolar.

Para conseguir pagar essas despesas extras, 26% dos entrevistados economizaram nas festas de fim de ano e com as compras de Natal. Outros 21% guardaram ao menos parte do 13º salário para honrar os compromissos. Outros 17% disseram ter montado uma reserva ao longo de 2019 para cobrir os gastos no futuro. De acordo com a pesquisa, 14% passaram a fazer algum bico para acumular uma renda extra.

Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o recomendável é que o consumidor tenha se planejado para essas despesas sazonais. “É preciso agilizar a organização para não passar sufoco e manter a disciplina para que as prestações não desajustem o orçamento”, afirma.

Pagar contas à vista ou parcelado?

Especialistas do SPC Brasil explicam que o recomendado é sempre pagar essas despesas à vista. Mas para avaliar se o desconto no pagamento único é mais vantajoso que o parcelamento, o consumidor deve fazer um cálculo mais criterioso.

É preciso avaliar se o desconto oferecido é maior do que o valor que esse dinheiro renderia caso estivesse em alguma aplicação financeira. Segundo o SPC Brasil, o pagamento à vista do IPTU, comparado ao parcelamento de 10 meses, será vantajoso se o desconto for superior a 1,5%. Já no caso do IPVA, supondo um parcelamento em 3 vezes, basta que o desconto supere os 0,5%.

Para os consumidores que inevitavelmente vão pagar a prazo é preciso iniciar um planejamento para quitar as despesas sem passar por sufoco. Para os próximos anos, a economista sugere que o consumidor faça uma programação automática separando todo mês um determinado valor para quitar esses compromissos sazonais.

Com informações do SPC Brasil