Pular para o conteúdo principal

Situação estacionária, avalia economista sobre o setor de serviços

Imagem
Arquivo de Imagem
Setor de Serviços

Divulgada recentemente, a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou uma queda de 0,2% no setor de serviços - o que mais emprega no Brasil - no mês de fevereiro. Conforme avalia Carlos Eduardo Soares Oliveira Jr, conselheiro do Cofecon, assessor econômico da Confederação Nacional de Serviços e diretor do Sindicato dos Economistas de SP, o declínio foi pequeno e mantém a tendência do mês de janeiro, que registrou queda de 1,8%.

Apesar das sucessivas retrações, o economista aponta que os números do setor seguem positivos. "Em 12 meses, a alta acumulada passou de 9,4% em janeiro para 8,4% em fevereiro, mantendo a trajetória ascendente iniciada em fevereiro de 2021", disse.

Leia também:
- "Ministério da Economia nunca entendeu o que é a Ceitec", critica engenheiro
- Julgamento de Daniel Silveira se inicia hoje (20) no STF

"Pesando o balanço de riscos para a atividade econômica, avaliamos que as condições de curto prazo da economia se encontram melhores no atual momento comparativamente ao início do ano", complementou.

No cenário mais amplo, o economista esclarece que o setor de servicos está em um estado estacionário. Ele atribuiu o fato à situação macroeconomica do Brasil, inflação alta, juros subindo e o desemprego.