Pular para o conteúdo principal

Situação catastrófica: Orçamento de 2023 prevê R$ 500 para cada cidade do País prevenir desastres naturais

Imagem
Arquivo de Imagem
transição

O ex-governador de São Paulo e integrante do Grupo de Trabalho de Cidades da Equipe de Transição, Márcio França, revelou que Bolsonaro deixou somente R$ 2,7 milhões no Orçamento de 2023 para a prevenção de desastres naturais no País. Ele participou de coletiva de imprensa, nesta quarta-feira (7), em Brasília.

"Cada cidade do Brasil irá receber R$ 500 para prevenir desastres naturais. 97% do orçamento foi cortado. Essa irresponsabilidade é do Bolsonaro e também do ministro Paulo Guedes, que cortou R$ 5 bilhões desse orçamento", explica França.

De acordo com o ex-governador de São Paulo, a lógica usada por Paulo Guedes para cortar o Orçamento para prevenir desastres naturais é de que as emendas dos parlamentares iriam cobrir o buraco. No entanto, explica França, os deputados colocam as emendas somente no que for de interesse deles e nas regiões onde foram eleitos.

LEIA TAMBÉM:
- Governo de Transição: Relatório de GT de Combate à Fome mostra caos e possíveis crimes
- Governo de Transição: "Quadro dramático", diz Mercadante sobre Educação

"Não adianta repor com emenda. Tem que ser reposto pelo próprio Orçamento para que as obras não paralisem. Se não houver uma reposição imediata, nós vamos ter mais de 5 mil obras paradas no Brasil a partir de janeiro", alertou França.

O ex-governador disse ainda que esse tipo de ação do ministro Paulo Guedes, e com esse formato, certamente terá implicação jurídica para quem fez. "Nós recomendamos para que a coordenação geral faça as representações necessárias, pois essas obras já estavam contratadas e estão em andamento. Depois que elas paralisarem, evidentemente elas vão custar mais para recomeçar", finalizou.