Pular para o conteúdo principal

Saques na caderneta de poupança batem recorde em março

Imagem
Arquivo de Imagem
Economia_0

A poupança está batendo recorde de retiradas em 2022. Apenas em março, os brasileiros sacaram R$ 15,36 bilhões a mais do que depositaram na poupança. A retirada líquida (saques menos depósitos) foi a maior registrada para o mês, desde o início da série histórica, em 1995, segundo informações do Banco Central (BC).

Em março, os saques totalizaram R$ 327,109 bilhões, e os depósitos R$ 311,753 bilhões na caderneta.

Nos 14 primeiros dias de abril, os saques superaram os depósitos em R$ 5,92 bilhões.

Leia também:
- Gov.br: Veja como assinar digitalmente documentos de forma gratuita
- Imposto de Renda: Receita Federal abre consulta ao lote residual de restituição do mês de abril

A divulgação do relatório estava paralisada por conta da greve dos servidores do BC. Com a suspensão do movimento na semana passada, a apresentação de estatísticas está sendo gradualmente retomada.

Até recentemente, a poupança rendia 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia). Desde dezembro do ano passado, a aplicação passou a render o equivalente à taxa referencial (TR) mais 6,17% ao ano, porque a Selic voltou a ficar acima de 8,5% ao ano. Atualmente, os juros básicos estão em 11,75% ao ano.

O aumento dos juros, no entanto, foi insuficiente para fazer a poupança render mais que a inflação. Nos 12 meses terminados em março, a aplicação rendeu 4,34%, segundo o Banco Central. No mesmo período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), que mede a inflação oficial, atingiu 11,3%.

Com informações do Banco Central e Agência Brasil