Pular para o conteúdo principal

Salariômetro: Metade dos reajustes negociados em novembro ganha da inflação

Imagem
Arquivo de Imagem
Economia

Em novembro, quase a metade (49,8%) dos reajustes salariais negociados teve ganho real acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). É o que mostra um levantamento feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o Salariômetro. No penúltimo mês do ano, o índice médio dos reajustes negociados ficou em 6,5%. Já em relação aos 12 meses, o percentual médio é de 10,6%.

Quando comparado 2022 com 2021, os reajustes deste ano estão melhores e devem melhorar mais até a virada do ano, segundo a Fipe. O Salariômetro leva em conta o acompanhamento das negociações coletivas e é feito a partir de dados disponibilizados pelo Ministério da Economia. Em novembro, foram 245 negociações e nos últimos 12 meses, 18,3 mil.

Em novembro, apenas 7,7% das negociações resultaram em acordos abaixo do INPC. Nos últimos 12 meses, o índice é de 41,9%. Em 42,7% das negociações feitas em novembro houve reposição igual ao índice de inflação. Em 12 meses, tiveram como resultado apenas a reposição do INPC 34,1% das negociações.

Leia também:
- Bancos públicos precisam voltar a atuar pelo desenvolvimento do país
- Centrais Sindicais almejam Luiz Marinho no Ministério do Trabalho

De janeiro a novembro, as negociações com resultado acima do INPC totalizaram 24,1%, enquanto no mesmo período de 2021, esse percentual ficou em 15,7%. No mesmo período de 2022, 34,1% das negociações tiveram apenas reposição da inflação e 41,8% ficaram abaixo do INPC. Em 2021, esses percentuais foram de 34,6% e 49,8%, respectivamente.

Por categoria, as que tiveram maior reajuste real, de janeiro a novembro de 2022, foram a da indústria da joalheria, com média de 0,76% de ganho acima da inflação, a segurança privada (0,2%) e de confecções e vestuário (0,1%).

As negociações dos trabalhadores de empresas jornalísticas tiveram o pior resultado nas negociações, com reajustes, em média, 3,92% abaixo da inflação.

Com informações da Fipe e Agência Brasil