Pular para o conteúdo principal

Rússia x Ucrânia: Tropas russas e ucranianas podem ficar frente a frente, afirma professor

Imagem
Arquivo de Imagem
Rússia x Ucrânia Donetsk, Luhansk e Criméia

Felipe Loureiro, historiador, professor de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do Observatório da Democracia no Mundo, avalia que o pronunciamento do presidente da Rússia Vladimir Putin, nesta segunda-feira (21), é "mais um passo em direção ao abismo na crise Rússia-Ucrânia-OTAN".

Em sua conta do Twitter, o professor explicou que o reconhecimento dos territórios separatistas da Ucrânia - Luhansk e Donetsk - como Repúblicas Populares inviabiliza a utilização de acordos diplomáticos assinados desde 2014, logo após a chamada “Revolução Maidan”. Os acordo Minsk, 1 e 2 foram costurados pela Fança e Alemanha, que vinham tentando salvá-los em vistas diplomáticas à Rússia no último período. Contudo, "com esse reconhecimento russo, o acordo não tem mais nenhuma chance", lamenta o professor.

O fim das negociações diplomáticas pode ter um custo muito alto tanto para a Rússia, quanto para a Ucrânia: a guerra. O professor teme que a ação de Putin hoje seja uma "porta aberta" para que a Rússia cruze as fronteiras da Ucrânia com a justificativa de proteger as repúblicas de Luhansk e Donetsk de suposto ataques de Kiev - a capital da Ucrânia. Inclusive militarmente. Conforme relembrou Oliver Stuenkel, professor de Relações Internacionais da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, de 2014 até hoje mais de 13 mil pessoas foram mortas no conflito.

Leia também
- Rússia x Ucrânia: Mais de 700 mil pessoas vivem em território ucraniano reconhecido por Putin

- Presidente da Rússia culpa Lênin pela existência da Ucrânia

Confira detalhes e mais informações na thread que o professor publicou no Twitter, clicando aqui.