Pular para o conteúdo principal

Poupança registra maior retirada dos últimos cinco anos

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Segundo o Banco Central, brasileiros e brasileiras promovem a maior retirada de dinheiro da poupança no mês de fevereiro dos últimos cinco anos.

Perda de emprego e renda, pandemia, contas de início de ano e fim do auxílio emergencial,: esses são alguns dos motivos que fizeram os brasileiros recorrerem à poupança. Isso fez com que os saques da poupança fossem os maiores em cinco anos para o mês de fevereiro.

Faça parte do nosso canal Telegram.
Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

A diferença entre os depósitos e os saques na poupança foi de R$ 5,83 bilhões. Ou seja, as reservas para emergências feitas pelos brasileiros estão sendo sacadas.

Movimentação típica da poupança, porém mais intensa

De acordo com o Banco Central, o primeiro bimestre do ano – composto pelos meses de janeiro e fevereiro – é a época em que mais se retira dinheiro. Conforme chegam as contas de início de ano e os impostos, é na tradicional poupança que os brasileiros recorrem.

Entretanto, 2021 deu ainda mais motivos para que isso ocorresse: o alto índice de desemprego – em torno de 13,1%, segundo o IBGE – e a queda de renda concorreram para isso. Outro fator citado foi o fim do auxílio emergencial.

Em outras palavras, cidadãs e cidadãos retiraram por oito meses o benefício das poupanças digitais da Caixa, bem como acabaram acumulando alguns rendimentos, que foram sacados em fevereiro.

No mesmo sentido, um terceiro fator para explicar a retirada recorde foi o baixo rendimento desse tipo de aplicação. Segundo o Banco Central, a poupança rendeu apenas 1,82% de feveriro de 2020 à fevereiro de 2021. Porém, a inflação medida pelo IPCA-15, que mede os preços ao consumidor, foi de 4,57%.

Leia também:
Novo Auxílio Emergencial: valor de R$ 600 é derrotado