Pular para o conteúdo principal

Reposição salarial: Professores protestam hoje (16) em frente ao MASP

Imagem
Arquivo de Imagem
educaçao

Cerca de 20 entidades representativas da educação do estado de São Paulo se unem hoje (16), às 17h, em frente ao Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) para protestar pelo reajuste 33,24% dos salários.

A porcentagem é a mesma aprovada para o reajuste do Piso do Magistério, aprovada por Bolsonaro após intensa pressão de educadores e entidades ligadas à pauta, em 4 de fevereiro deste ano. De acordo com o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP), além do reajuste de salários, os professores exigem ainda o fim dos "confiscos" nos salários dos aposentados e pensionistas devido ao aumento da alíquota descontada do benefício.

Além do professorado da capital do estado, ônibus de outros municípios prometem engrossar o ato. Também estão previstas ações em frente às Diretorias de Ensino de outras cidades.

Outas reivindicações dos professores de São Paulo

 Cumprimento da Lei do Piso;
 A retirada do PLC 3/2022 - que institui planos de carreira e remuneração para os profissionais da educação;
 O direito à alimentação nas escolas;
 Ampliação do número de UFESPs para aumento do valor do auxílio-alimentação;
 Que o estado dê condições de categoria "F" a todos os professores da categoria "O" até que haja concurso;  Realização de concursos públicos;
 Contratação de funcionários de escolas pelo Estado, não terceirizados;
 Fim da superlotação nas salas de aula;
 Adoção do número máximo de 25 estudantes por sala de aula;
 A manutenção das classes do período noturno;
 Contra o novo Ensino Médio.

Leia também:
- Gasolina: Engenheiros da Petrobras apontam 4 falácias sobre o PPI
- Senado aprova a Lei Paulo Gustavo, de apoio à cultura