Pular para o conteúdo principal

Quais produtos tiveram a maior alta de preços nos últimos 12 meses? Confira

Imagem
Arquivo de Imagem
fundos de pensão, juros

Com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - conhecido como a taxa de inflação oficial do País - registando variação de 0,87% em agosto e acumulando alta de 9,7% nos últimos 12 meses, uma série de produtos registraram um aumento muito superior.

Nos últimos 12 meses, por exemplo, os 19 produtos que mais encareceram tiveram variação superior a 35%. O Reconta Aí lembra que o IPCA não é uma simples média da variação de preços de todos produtos pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Isso porque variações regionais, o quanto cada produto pesa no orçamento dos consumidores e outras variáveis compõem a fórmula do IPCA. Por isso, a variação registrada em agosto foi principalmente puxada pela alta dos combustíveis, em especial a gasolina.

VEJA TAMBÉM:
- O agro plantou mais, mas colherá menos em 2021
- Com alta de 0,87% em agosto, inflação é a maior para o mês desde 2000

De acordo com os dados do IBGE, o pódio dos produtos que mais encareceram é composto pelo repolho, óleo de soja e etanol. Os preços deles acumulam nos últimos 12 meses uma alta de 75,7%; 67,7% e 62,3%, respectivamente.

Completando a lista dos dez produtos que mais encareceram - a maior parte do grupo alimentação - estão: pimentão (59,5%); pepino (59,3%); abobrinha (58,4%); mandioca (41,6%); feijão fradinho (40,3%); gasolina (39,1%) e músculo (38,9%).

De difícil reversão, a inflação oficial do País deve terminar o ano acima da meta. Estabelecida pelo Banco Central, o centro da meta para este ano é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto percentual para cima (teto, de 5,25%) ou para baixo (piso, de 2,25%).

A meta é estabelecida pela autoridade monetária como marco para o planejamento e expectativas dos agentes de mercado.