Pular para o conteúdo principal

Produção industrial caiu em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em novembro

Imagem
Arquivo de Imagem
IBGE

A produção industrial caiu em oito dos 15 locais analisados pela Pesquisa Industrial Mensal (PIM Regional), na passagem de outubro para novembro, quando o índice nacional recuou 0,2%. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as principais quedas foram em Amazonas (-3,5%), Ceará (-2,5%) e Rio de Janeiro (-2,2%), enquanto Mato Grosso (14,6%), Santa Catarina (5,0%) e Pará (3,5%) apresentaram as maiores altas.

A queda do Rio de Janeiro contribuiu com o maior impacto negativo no resultado da pesquisa. A queda foi atribuída aos setores de derivados do petróleo.

“Essa queda é atribuída ao impacto negativo dos setores de derivados do petróleo, principalmente, de metalurgia e da indústria farmacêutica. O Amazonas é a segunda maior influência negativa, em função da queda do setor de bebidas, principalmente”

Bernardo Almeida, gerente da pesquisa.

A Bahia, com queda de 1,7%, teve o terceiro maior peso, devido ao baixo desempenho do setor de celulose e de outros produtos químicos. A indústria baiana atinge essa queda depois de dois meses de resultados positivos, quando acumulou ganho de 5,4%”.

Por outro lado, São Paulo liderou como principal influência positiva sobre o resultado nacional, com expansão de 1,0%. O resultado de São Paulo, que responde por cerca de 34% da produção industrial do país, deve-se ao bom desempenho do setor de veículos, que tem peso de 16,1% dentro da indústria paulista.

Comércio

O IBGE também informou nesta sexta-feira (14) que o volume de vendas do comércio varejista no País cresceu 0,6% em novembro, na comparação com outubro (0,2%).

No entanto, mesmo com o avanço, mais da metade das atividades tiveram resultado negativo no período. No ano, o varejo acumula alta de 1,9% e nos últimos doze meses, também crescimento de 1,9%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC).

LEIA TAMBÉM:
- De Lula a Bolsonaro: Cesta básica encareceu e sua renda sumiu
- Volume dos Serviços cresce 2,4% em novembro