Pular para o conteúdo principal

Privatização: MP 995 é mais um desafio para os empregados da Caixa

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Em meio à Campanha Nacional dos Bancários, em que se constroem acordos coletivos para a categoria, empregados da Caixa lutam contra a MP 995.

Sindicatos e Associações dos Empregados da Caixa, como a Fenae e APCEFs, estão mobilizando os trabalhadores do banco público a lutar contra o fatiamento e privatização da instituição. Mais uma vez.

Nesse momento, a maior preocupação da categoria foi imposta pelo governo, a Medida Provisória 995. De acordo com o texto apresentado pelo governo ao Congresso no dia sete de agosto, a direção da Caixa recebeu sinal verde para abrir o capital suas subsidiárias. Ou seja, áreas estratégicas do banco poderão ser vendidas sem passar pela autorização do Congresso Nacional, como exige a Constituição.

A edição da Medida Provisória 995 não é uma surpresa. Desde o início de seu governo, Bolsonaro, chefiado pelo ministro Paulo Guedes, já anunciava que o governo faria muitas privatizações. Contudo, o necessário papel da Caixa seguia incólume, até agora.

Empregados da Caixa em luta

De acordo com Dionísio Reis, integrante da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), a Contraf-CUT e a Fenae estão capitaneando a reação dos empregados à MP.

“Aqui no estado de São Paulo, temos a coordenação do Comitê em Defesa dos Empregados da Caixa, pela APCEF- São Paulo, que busca além dos deputados federais eleitos pelo estado, as Câmraras Municipais e os prefeitos do estado”, alerta Dionísio Reis. Segundo ele, essa é a forma mais efetiva para “articular e mobilizar a defesa da Caixa Econômica Federal”, acrescenta.

No mesmo sentido, Dionísio explica que a necessidade de lutar contra a Medida Provisória é importante porque “Essa MP 995 vem na intenção de desmontar completamente a Caixa, é mais do que privatizar”.

Além dos parlamentares, prefeitos e empregados é importante que a sociedade se una em favor da Caixa. Afinal, em meio à pandemia, somente a Caixa foi capaz de articular em tempo recorde o pagamento de benefícios a mais de 50 milhões de brasileiros. Assim como faz há anos com outros benefícios sociais, além é claro, de atender outras demandas dos trabalhadores, como o FIES, e o Minha Casa Minha Vida.

Dionísio Reis mostra a importância da Caixa para o Brasil, “Isso é a defesa do desenvolvimento do país, da soberania nacional e, também, do banco em que trabalhamos”.

Ouça aí!