Pular para o conteúdo principal

Prévia da inflação tem maior aumento para novembro desde 2002

Imagem
Arquivo de Imagem
inflação

A prévia da inflação registrou a maior alta para um mês de novembro desde 2002. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou nesta quinta-feira (25) o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15).

A variação mensal do IPCA-15 registou aumento de 1,17% em novembro de 2021. É a maior alta para o mês desde 2002, quando foi registrada a variação de 2,08%. Em novembro do ano passado, a taxa ficou na marca de 0,81%.

LEIA TAMBÉM:
- Confiança do consumidor recua com inflação alta e maior endividamento das famílias
- Reajustes salariais do mês de outubro apresentaram o pior resultado para os trabalhadores em 2021

No ano - janeiro a novembro de 2021 -, o IPCA-15 acumula alta de 9,57%. No últimos 12 meses - novembro de 2020 a novembro de 2021 - a taxa acumulada é de 10,73%. Em outubro, a taxa acumulada nos últimos 12 meses era de 10,34%.

De acordo com os dados do IBGE, houve alta do IPCA-15 em todas as áreas geográficas pesquisadas. A maior variação ocorreu em Goaiânia (1,86%) e a menor na Região Metropolitana de Belém (0,76%).

A variação individual, em termos de bens e serviços, com maior impacto na alta geral (0,40 ponto percentual) foi a da gasolina. O produto teve alta de 6,62%, fazendo dos transportes o grupo com maior variação, de 2,89%, e com maior impacto no índice, 0,61 pontos percentuais.

Outro destaque foi o transporte por aplicativo, com variação de 16,23%, seguindo alta de 11,60% registrada em outubro.

O IPCA-15 é calculado com base em dados de famílias com rendimentos de 1 a 40 salários-mínimos, oriundos de qualquer fonte, e que residam nas regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e do município de Goiânia.