Pular para o conteúdo principal

Preço do gás: botijão acumula alta de 22% no ano

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Com a elevação de 5% no preço médio do GLP, nome técnico para o gás de cozinha, anunciada pela Petrobras, o preço do botijão já acumula alta 21,9% no ano de 2020.

O preço médio que a estatal passará a cobrar de distribuidoras será de R$ 33,89 por unidade de 13 kg. A alta acumulada no ano equivale a um acréscimo de R$ 6,08 por botijão.

Segundo a Petrobras, dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) apontam que, no valor final do botijão pago pelo consumidor, o preço cobrado pela companhia representam 43% do total. Os 57% restantes são agregados ao preço final ao longo da cadeia até o último comprador.

Na última semana de novembro, o preço médio do botijão para o consumidor final era de R$ 73,22.

A direção da Petrobras justifica o aumento do preço por conta da vinculação dos valores se seus produtos ao mercado internacional. Essa prática foi adotada durante o governo Michel Temer (MDB) e tem sido alvo de críticas por parte de funcionários da companhia e de economistas, que observam o mecanismo como fator que elimina o papel da Estatal no mercado de gás e petróleo.