Pular para o conteúdo principal

Preço da gasolina: Wellington Dias defende fundo de equalização dos combustíveis

Imagem
Arquivo de Imagem
bomba de combustível

O governador do Piuaí, Wellington Dias (PT), defendeu nesta quarta-feira (13) a criação de um fundo de equalização para o preços dos combustíveis, mecanismo que busca compensar a variação dos preços internacionais do petróleo evitando altas sucessivas a abruptas do preço dos derivados.

Dias entende que a criação de um fundo é mais efetivo que alguma alteração na cobrança do ICMS - tributo que virou bode expiatório no discurso de Bolsonaro para justificar o aumento dos combustíveis, mesmo que em muitos estados o percentual cobrado seja o mesmo há tempos.

LEIA TAMBÉM:
- Pepare o bolso: gasolina e gás de cozinha estão mais caros a partir deste sábado (9)
- Petrobras: Lula faz duras críticas ao reajuste do preço da gasolina e do gás de cozinha

"Isso sim, faz cair o preço da gasolina para aproximadamente quase R$ 4,50 e não apenas 40 centavos como é essa proposta da Câmara [para modificar a cobrança de ICMS]. Na verdade, a gente tem que trabalhar mesmo é pela reforma tributária e tem acordo dos governadores [em torno desta questão]. Aqui sim, vai fazer a diferença", disse Dias, que é presidente do Consórcio Nordeste e coordenador no Fórum Nacional de Governadores.

Com a inflação dos derivados do petróleo disparando, a criação de um fundo compensatório ganhou força em Brasília. A questão tem sido debatido no Projeto de Lei (PL) 750 de 2021.