Reconta Aí Atualiza Aí Precisamos de unidade para barrar os ataques do governo, diz Takemoto

Precisamos de unidade para barrar os ataques do governo, diz Takemoto

“É importante conversar com a população principalmnete nesse momento de ataque aos Bancos Públicos. O IPO da Caixa Seguridade é um começo”

As privatizações e o desmonte dos Bancos Públicos foi tema de um debate virtual realizado na noite do último domingo (2). Sergio Takemoto, presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), participou do encontro promovido pela organização Jornalistas Livres.

Takemoto falou sobre os ataques do governo às empresas públicas e a estratégia de fatiamento ao criar empresas subsidiárias para serem vendidas sem passar pelo aval do Congresso.

“Além da privatização, o que se tem assistido é o esvaziamento das funções públicas da Caixa: ela detém mais de 70% dos financiamos sendo que mais de 90% [dos financimantos] são feitos por quem ganha até R$ 1.800″, disse em relação à área habitacional. “É o fim do sonho da casa própria”, complementou.

Crítico à fala de Paulo Guedes – ministro da Economia, Takemoto mencionou outro dado de esvaziamento social do Banco Público. Ele contou que em 2014, a Caixa financiou 732 mil bolsas de estudos a pessoas que não tinham acesso ao ensino, sendo que este ano, reduziu para 93 mil [bolsas de estudos]. “É uma redução assustadora”, disse.

O presidente da Fenae também falou do ataque às entidades sindicais, dirigentes e à liberdade democrática do Pais. “O governo tenta de toda maneira tirar a liberdade e isso é um crime. É preciso fazer resistência aos ataques dos Bancos Públicos”, destacou.

Além de Takemoto, participaram da live o coordenador da Comissão dos Funcionários do Banco do Brasil, João Fukunaga e a presidente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região, Eneida Koury. 

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial