Pular para o conteúdo principal

Precarização e sucateamento: teto de centro de saúde desaba em São Paulo

Imagem
Arquivo de Imagem
CTA Guaianases/SP

Foto: Sindsep

Em um momento em que a sociedade se volta para o Sistema Único de Saúde (SUS), enxergando-o como grande agente da vacinação contra o covid-19, um episódio mostra como o programa tem sofrido com a precarização e o sucateamento. No dia 8 de julho, o teto do Centro de Testagem e Aconselhamento - CTA em DST/AIDS de Guianeses foi abaixo. A situação ocorreu na madrugada, o que evitou que profissionais de saúde e pacientes se machucassem.

Desde então, a população que depende do CTA está sendo sendo atendida de maneira precária, segundo o Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo (Sindsep).

LEIA TAMBÉM:
- Covid-19: Saúde confirma bancários e empregados dos Correios na lista de grupos prioritários
- Orçamento 2021: Governo Bolsonaro tirou da Saúde e Educação para dar a emendas parlamentares

Com o sucateamento vem a precarização

"Com o desabamento do teto, os servidores da unidade foram divididos em duas equipes, a parte administrativa foi para a Suvis Guaianases e a outra ainda irá para a UBS Guaianases II e seguem atendendo no local, mesmo com os problemas no prédio", relata o Sindsep.

A situação preocupa as servidoras do local, que temem perda de qualidade nos serviços prestados à população. Principalmente por causa do preconceito, já que o CTA é um serviço de saúde que se articula aos demais serviços do Sistema Único de Saúde para a promoção da equidade de acesso ao aconselhamento e ao diagnostico do HIV, das Hepatites B e C e, da Sífilis e possui muitos pacientes LGBTQIA+.

Sindsep irá à Secretaria Municipal de Saúde em defesa dos servidores

O Sindsep promete pautar a situação na Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo. No mesmo sentido, o sindicato também cobrará uma solução para que o "CTA continue funcionando e que os trabalhadores não continuem sem condições de trabalho".