Pular para o conteúdo principal

Polícia Federal vai investigar atentado com bomba em Brasília

Imagem
Arquivo de Imagem
Polícia-Federal

O ministro da Justiça, Anderson Torres, designou a Polícia Federal para acompanhar a Polícia Civil do Distrito Federal na apuração do atentado com bomba planejado por George Washington Oliveira Souza, preso na capital federal.

George colocou explosivos - utilizados no garimpo - embaixo de um caminhão tanque que transportava querosene de aviação nas proximidades do aeroporto de Brasília no dia 24 de dezembro, véspera de Natal. A motivação, segundo o terrorista, era debelar o comunismo do Brasil.

Em redes sociais, Torres se pronunciou afirmando que é importante aguardar as conclusões oficiais do inquérito para depois promover as devidas responsabilizações.

Empresário que promove atentado com bomba é terrorista

George saiu da cidade de Xinguara, Pará, em uma caminhonete contendo um verdadeiro arsenal de armas, além dos explosivos, para acampar em frente ao Quartel-General do Exército (QG), em Brasília.

Após o atentado, George foi preso em flagrante. Depois, sua prisão foi convertida em preventiva por tempo indeterminado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). Além de ser preso por terrorismo, o paraense teve sua prisão também por "porte e posse ilegal de armas de fogo e de uso restrito".

Além do atentado, George também planejava distribuir seu arsenal entre os criminosos que acampam na frente ao QG. Ele afirmou que o faria assim que recebesse uma convocação do Exército.

Leia também:
- Eleições, guerra, Copa, pandemia: 2022 foi um ano intenso
- Os Primeiros Desafios