Pular para o conteúdo principal

Planos de saúde puxam para cima inflação, segundo prévia publicada hoje (24)

Imagem
Arquivo de Imagem
ipca-15

O reajuste dos planos de saúde - que subiram 2,99% - puxaram para cima o IPCA-15, índice que traz uma prévia da inflação do mês. O indicador teve um aumento de 0,10% em relação ao anterior, maio de 2022, alcançando 0,69% de alta.

Comparado ao mesmo período do ano passado, o índice divulgado nesta sexta-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) desacelerou: foi de 0,83% em junho de 2021. Já o acumulado dos três últimos IPCA-15 relativos a abril, maio e junho de 2022 (chamado IPCA-E) chegou a 3,04%. Contabilizando todos os resultados do IPCA de 2022, o aumento foi de 5,65%.

Fonte: IBGE

 

Leia também:
- Sob Bolsonaro, preço dos alimentos cresce acima da inflação
- Reduflação: Entenda esse fenômeno e como ele afeta o consumidor

Tudo subiu em junho de 2022

De acordo com o IBGE, que calcula o índice, todos grupos pesquisados apresentaram alta em junho. Porém, foi o grupo Transporte que respondeu pelo maior impacto no IPCA-15: 0,19%, apesar de ter subido 0,84%.

Os maiores aumentos percentuais foram por ordem: Vestuário 1,77%; Saúde e Cuidados Pessoais 1,27%; Habitação 0,66%; Alimentação e Bebidas 0,25%. Dentro de cada um dos grupos há subitens, como o Plano de Saúde, que sofreu reajuste de até 15,50% autorizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS); as passagens aéreas, cujo aumento foi de 11,36%; a taxa de água e esgoto, 4,29%; o leite longa vida, 3,45% entre outros produtos e serviços.

Sobre o IPCA-15

O IBGE explica que o IPCA-15 é medido entre famílias com rendimentos de 1 a 40 salários-mínimos, que vivam nas regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e do município de Goiânia.