Reconta Aí Atualiza Aí PIX já está em operação; veja como usar

PIX já está em operação; veja como usar

O novo sistema de pagamentos PIX começa a funcionar hoje (16); saiba como utilizá-lo.

O sistema de pagamentos PIX entrou em funcionamento nesta segunda-feira (16) em todo o País. O novo meio de pagamentos foi desenvolvido pelo Banco Central e está disponível em mais de 730 bancos, corretoras e fintechs. E já tem quase 30 milhões de usuários cadastrados.

Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin.

Para o economista Eduardo Reis Araújo, conselheiro do Cofecon (Conselho Federal de Economia) e consultor do Tesouro Estadual do Espírito Santo, o PIX chegou para descomplicar. Ao Reconta Aí, Araújo esclareceu algumas dúvidas. Confira!

Como fazer a primeira operação?

“As pessoas que já fizeram o cadastramento do PIX podem começar a fazer o uso desse sistema pelo próprio smartphone. Para tanto, basta abrir o aplicativo do banco ou instituição financeira”.

Araújo explica também que por ser feito dentro do aplicativo do banco, cada instituição financeira terá uma interface diferente para o consumidor (assim como são diferentes os caminhos para efetuar outros tipos de tranferências, como TED e DOC).

É possível cadastrar uma chave em cada banco?

“As pessoas podem cadastrar até cinco chaves”, disse Araújo. Nesse sentido, esclarece que cada chave é uma forma de identificação diferente, tal como o número do CPF, da linha de celular, códigos automaticamente gerados e enderço de e-mail. Por isso, é possível utilizar uma chave diferente para cada banco ou instituição financeira.

“É importante reservar e-mail, número de telefone e o CPF, que são as chaves mais populares, para os bancos em que a pessoa costuma movimentar mais recursos”, sugere o economista.

Quais tipos de operações é possível realizar com o PIX?

“Basicamente o PIX servirá para transações e pagamentos”, disse. Juntamente com os aplicativos que hoje fazem pagamentos instantâneos com o QR Code, o economista acredita que é bastante provável que, em breve, os estabelecimentos disponibilizem o pagamento via PIX (por exemplo, para passagens de transporte urbano, entre outras ações do dia a dia).

O benefício do PIX sobre os sistemas atuais é a diponibilidade de uso vinte e quatro hora por dia nos 7 dias da semana, sem nenhuma restrição. Além disso, tem a vantagem de não haver taxas para as pessoas físicas (contudo, as empresas poderão ser cobradas).

Qual a contribuição do PIX para a economia do Brasil?

Araújo afirma que o PIX pode sim auxiliar a economia do Brasil, mesmo nesse momento tão difícil. “Ele pode ajudar pequenos comércios e empreendedores no sentido em que traz uma nova modalidade de pagamento instantâneo”, avalia. Contudo, Araújo alerta para a necessidade de que empreendedores, principalmente os novos, fiquem atentos às tarifas. Estas podem variar de acordo com o banco ou instituição financeira escolhida.

No mesmo sentido, Araújo projeta que a comodidade de utilizar o celular para fazer operações pode contribuir para a maior bancarização dos cidadãos. Ele explica que a bancarização é importante porque muitas pessoas chegam a perder dinheiro por não manterem aplicado, com uma correção monetária.

Além disso, os trabalhadores informais podem se beneficar do PIX: os que realizam funções com menos proteção, tais como lavadores de carro, vendedores ambulantes, entre outros. Cada vez menos pessoas usam dinheiro em papel e receber tem se tornado um obstáculo a esses profissionais.

“Oferecer meios de pagamento e permitir que o dinheiro circule mais entre as pessoas é um item que pode contribuir para o crescimento econômico”, afima Araújo. Entretanto, o econonomista avalia que não deve haver um avanço tão significativo nos primeiros instantes, até porque “em muitos lugares do País não há oferta de internet com velocidade rápida“, explica.

Por último, Araújo afirma que é importante que a sociedade se mobilize para que as tarifas do serviço, mesmo para as empresas, não sejam altas.

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial