Pular para o conteúdo principal

PIB per capita deve ser 2,3% menor que o de 2019, segundo FGV

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Ao final de 2021, o PIB per capita do Brasil deverá ser 2,3% menor que o verificado em 2019. A projeção, segundo o Valor Econômico, é de um estudo da Fundação Getúlio Vargas. Os pesquisadores apontam também que não há previsão para que o indicador se recupere aos níveis pré-pandemia.

Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

O estudo tem como base projeções de agentes do mercado financeiro, o boletim Focus e estimativas do Fundo Monetário Internacional. Levou-se em conta que o PIB brasileiro deve ter uma retração de 5,1% em 2020, e que o PIB de 2021 deve aumentar 3%, ou seja, sem recuperar o que foi perdido no ano que passou.

Pela projeção da FGV, apenas 30 de 200 países terão, em 2021, com o PIB per capita no mesmo nível que o anterior à pandemia.

O PIB per capita – toda riqueza produzida pelo país divida pelo número de habitantes – foi de R$ 35.247 em 2019. Em 2020, a projeção é de caia para R$ 33.449. Já em 2021, a estimativa aponta para R$ 34.453.

O estudo da FGV trabalha com dois eixos: por um lado, a grande queda ocorrida em 2020 e, por outro, a avaliação de que a economia brasileira, mesmo antes da pandemia, não tinha uma trajetória de expansão vigorosa.

Estes fatores fazem com que o Brasil, apesar das dificuldades gerais no mundo, tenha uma recuperação relativamente mais frágil: a média global é de um PIB per capita 1,4% menor que o de 2019.

Do ponto de vista das economias emergentes, o PIB per capita deve ficar em média 0,4% acima do verificado em 2019. O principal elemento neste grupo é o peso da China, que deve encerrar 2021 com um PIB per capita quase 10% (9,6%) superior ao de 2019.