Pular para o conteúdo principal

Petrobras: Bolsonaro reclama, mas não faz nada para conter os aumentos da gasolina e do gás

Imagem
Arquivo de Imagem
gasolina

Em 2018, durante a corrida presidencial, Bolsonaro criticava os preços dos combustíveis. Na época, o valor médio do litro da gasolina era de R$ 4,50, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP).

No entanto, após o golpe contra Dilma, o governo Michel Temer resolveu mudar a política de preços da Petrobras. Assim, a empresa passou a usar como base o valor do petróleo no mercado internacional. Ou seja, vender em dólar para os brasileiros que pagam em reais. O impacto no preço do combustível brasileiros foi assustador, claro.

Bolsonaro assumiu a presidência e deixou todo o seu discurso de diminuir o preço da gasolina de lado. De lá pra cá os aumentos são constantes e o brasileiro já deparou com postos vendendo combustível por mais R$ 8 o litro.

Corta para 2022, ano eleitoral. "Não vou interferir, vai continuar este preço da gasolina", diz Bolsonaro. Ele não faz nada desde que assumiu o mandato como presidente. Aliás, ele transformou o ICMS dos estados em vilão dos altos preços dos combustíveis. No entanto, mesmo governadores zerando a cobrança do imposto, os preços continuaram subindo nos postos.

LEIA TAMBÉM:
- Petrobras anuncia novo aumento da gasolina e do gás de cozinha. Preços passam a valer a partir de amanhã (11)
- Preço do Gás: Petrobras aumenta R$ 8,06 no preço do botijão

A partir desta sexta-feira (11), os brasileiros vão encontrar novos preços. A Petrobras anunciou mais um aumento. Em relação à gasolina, o preço de venda às distribuidoras vai passar de R$ 3,25 para R$ 3,86 por litro, variação de 18,8%. O diesel passará de R$ 3,51 para R$ 4,61 a cada litro, uma alta ainda superior, de 24,9%.

O gás de cozinha também não fica de fora. O preço médio vai de R$ 3,86 para R$ 4,48 por quilo. O botijão de 13 kg, assim, será vendido às distribuidoras por R$ 58,21. O aumento, proporcionalmente, é de 16,1%.