Pular para o conteúdo principal

Perspectivas econômicas: Especialista em agronegócio prevê alta do preço dos alimentos em 2022

Imagem
Arquivo de Imagem
alimentos

Em artigado artigo publicado recentemente, o Coordenador Científico do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq/USP), Geraldo Sant’Ana de Camargo Barros, estima que a combinação dos juros altos, com as incertezas em relação ao câmbio e ao programa Auxílio Brasil, devem encarecer os preços dos alimentos em 2022.

Camargo Barros explica que ainda que no País a demanda siga fraca por causa da diminuição da massa salarial e do alto desemprego, o programa de transferência de renda Auxílio Brasil pode ter um impacto forte na compra de alimentos, elevando os preços. O coordenador Científico do Cepea tomou como base o programa auxílio emergencial de 2020, quando quase R$ 300 bilhões foram injetados na economia, e cerca de 53% desses recursos foram utilizados na alimentação.

LEIA TAMBÉM:
- Juros: Brasil foi o país que mais elevou a taxa em 2021
- Depois de quatro anos, reforma trabalhista só ampliou o desemprego, a informalidade e a baixa renda

O especialista projeta que ainda não é possível saber se o Auxílio Brasil terá o mesmo impacto na demanda por alimentos que o auxílio emergencial. Mas alerta os agentes das cadeias produtivas para que se preparem para um possível aumento de demanda - quando finalmente o programa for implementado.

Segundo ele, é necessário que o setor produtivo se adeque à necessidade de uma maior produção de alimentos em 2022 para que não seja pego de surpresa como em 2020, ocasionando uma forte alta de preços para a população do País.