Pular para o conteúdo principal

Oposição no Senado reúne assinaturas para CPI do MEC

Imagem
Arquivo de Imagem
congresso nacional 2

A oposição no Senado anunciou nesta quinta-feira (23) ter coletado assinaturas suficientes para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as suspeitas de corrupção no Ministério da Educação (MEC).

"Vamos perseguir outras assinaturas para dar ao requerimento a robustez necessária, para evitar abordagens por parte do governo de retirada de assinaturas. Com a assinatura do senador [Alexandre Luiz] Giordano [MDB-SP], temos 27 assinaturas. Nós iremos nos dedicar à confirmação de outras três. Assim, não protocolaremos hoje", declarou Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Rodrigues, líder da minoria no Senado, afirmou ter esperanças de obter ao menos mais três assinaturas. Sua expectativa é de conseguir 30 nomes até a próxima terça-feira (28).

A iniciativa ocorre após prisão de ex-ministro Milton Ribeiro e dois pastores próximos de Jair Bolsonaro. Ribeiro, que também é pastor presbiteriano, está envolvido em um escândalo que o fez sair da pasta. Há suspeita que religiosos cobravam propinas de prefeitos para intermediar pedidos de verbas no Ministério, especificamente do FNDE, órgão controlado pelo chamado Centrão.

Apesar do número suficiente de assinaturas - 27 - a instauração de CPIs no Congresso não tem ocorrido de forma automática.

Na CPI da Covid, por exemplo, foi necessário uma ordem judicial do Supremo Tribunal Federal para que a mesa diretora do Senado criasse a Comissão.

Leia também:
- Bolsonaro: Pelo terceiro ano seguido, Brasil cai no ranking de combate à corrupção
- Especialistas repercutem prisão do ex-ministro Milton Ribeiro