Reconta TV


Reforma Administrativa: Verdades e mentiras sobre a proposta de Bolsonaro

Contra os ataques do governo ao serviço e aos servidores públicos do Brasil, o Reconta Aí explica, em vídeo, a reforma administrativa proposta pelo governo Bolsonaro.

Reforma Administrativa é ‘uberização’ do serviço público, diz consultor político

Para Vladimir Nepomuceno. tal precarização levaria ao fortalecimento do “coronelismo” e do “patrimonionalismo” dentro do Estado.

Casa Verde e Amarela não atenderá aos mais pobres

De acordo com Evaniza Rodrigues, não há orçamento para que a Casa Verde e Amarela contemple a Faixa 1, ou seja, os mais pobres.

Economista projeta taxa de desemprego de 30% com corte no auxílio emergencial

Corte no auxílio emergencial pode levar taxa de desocupação – verificada em maio em cerca de 10% – a mais 30% até o final do ano.

Celso Amorim: “Não é alinhamento aos EUA, é submissão”

Formulador da Externa “ativa e altiva”, Celso Amorim afirma que posições do governo Bolsonaro não têm paralelo na história diplomática.

Reforma Administrativa: “Visão do governo não é fortalecer o Estado”

Para o economista e diretor do Reconta Aí, Sérgio Mendonça, o texto recebido por Rodrigo Maia não propõe uma reforma administrativa. Ele participou de live na TV GGN.

Juvandia Moreira comenta acordo coletivo dos bancários

Presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira fala sobre as negociações que levaram ao acordo coletivo entre a categoria e os bancos

Impacto insignificante, diz Miriam Belchior sobre Casa Verde e Amarela

Miriam Belchior diz que o programa anunciado por Bolsonaro não pega o centro do problema de habitação: o déficit habitacional.

Negociações coletivas: pandemia dificulta a reposição de perdas salariais

O Reconta Aí conversou com Fausto Augusto Júnior, diretor técnico do Dieese. Ele falou o que tem mudado nas relações de trabalho com a crise do coronavírus. Confira!

“Projeto de destruição do Estado”, diz Guilherme Mello sobre teto de gastos

Ao participar da live do Reconta Ai nesta quinta-feira (20), o economista falou sobre o “fracasso” da proposta de estabilização fiscal – o teto de gastos.