Pular para o conteúdo principal

"Não sigam nenhuma decisão imbecil do presidente da República: tomem a vacina", pede Lula

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Ricardo Stuckert/Site do PT

Na primeira manifestação após as recentes movimentações no Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez duras críticas à Lava Jato e atacou de forma contundente a gestão da Jair Bolsonaro à frente da crise da pandemia.

Faça parte do nosso canal Telegram.
Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

“Semana que vem vou tomar a vacina. Não importa de que País. Quero dizer ao povo: não siga nenhuma decisão imbecil do presidente da República. Tome a vacina!”, pediu o petista. “As mortes estão sendo naturalizadas. Muitas poderiam ter sido evitadas, se e o Governo tivesse feito o elementar”.

Além da ineficiência, Lula apontou que Bolsonaro age ativamente para piorar a condição da pandemia.

“Vocês percebem a loucura? Gente sem máscara afirmando que há um remédio que irá salvá-las. Esse País não tem governo!”, complementou Lula, ao abordar os efeitos do negacionismo promovido por Bolsonaro.

O petista também criticou a condução da economia, capitaneada por Paulo Guedes.

“Nosso povo não está precisando de armas. Está precisando de emprego. O País não tem ministro da Economia, tem um fanfarrão. Para gerar emprego, tem que haver demanda. Por que estamos lutando por auxílio emergencial? Esse País não tem governo”, criticou.

Lula afirmou que a verdade finalmente está vindo à tona após as movimentações do STF, tema que aproveitou para fazer sinalizações ao mundo político.

“Não tenho mágoas. O sofrimento que o povo brasileiro está passando é infinitamente maior que qualquer crime que cometeram contra mim. Não há dor maior do que acordar e não ter certeza de ter um prato de feijão com farinha para dar ao filho”

Ao mesmo tempo em que afirmava a necessidade de uma guinada brusca nos rumos do País – “Eu sou radical. Sou radical porque quero ir à raiz dos problemas. Porque quero um mundo justo. Eu convido vocês a lutar por esse país” -, mostrava disposição ao diálogo.

Lula afirmou ser necessário “ter paciência” para se dialogar e construir alianças, lembrando de sua chapa com o empresário José de Alencar. Para o petista não é conveniente pensar em nomes para Presidência nesse momento.