Pular para o conteúdo principal

Movimentos sociais refazem busto de Carlos Lamarca removido ilegalmente por Ricardo Salles

Imagem
Arquivo de Imagem
Foto divulgação

Nessa sexta-feira (17), movimentos sociais do Vale do Ribeira e do litoral do estado de São Paulo se uniram a intelectuais e parlamentares para realizar uma homenagem a Carlos Lamarca. O personagem histórico foi capitão do Exército Brasileiro e combateu a ditadura militar, que tomou o poder no Brasil entre 1964 e 1985. Como consequência, Lamarca foi assassinado por agentes da ditadura em 17 de setembro de 1971 no interior da Bahia. Em 2012, ganhou um busto no Parque do Rio Turvo no município de Cajati, SP.

Héric Moura/Agência Pública

A homenagem consistiu no lançamento de um novo busto no mesmo local, após a retirada ilegal do mesmo promovida pelo então minstro do Meio Ambiente do governo Bolsonaro, Ricardo Salles, em 2017. Salles se tornou réu pela ação em 2019, quando uma juíza aceitou a denúncia do Ministério Público contra ele por crime contra o patrimônio. O busto original, removido pela Polícia Ambiental a mando do ex-ministro, jamais foi encontrado, tal qual muitos dos mortos pela ditadura militar. Entretanto, foi reproduzido e recolocado em seu lugar na mesma data do assassinato de Lamarca.

De acordo com o movimento Lamarca Vive, a homenagem com a instalação de um novo busto foi uma decisão do Conselho do Parque, integrado por membros do poder público e da comunidade, "além de ter seguido todos os trâmites administrativos e públicos", reforça o movimento.

Os parlamentares José Américo (PT), Carlos Giannazi (PSOL), Glauber Braga (PSOL) e Samia Bomfim (PSOL) estiveram presentes na cerimônia que buscou retomar a memória da luta contra a ditadura. Ao mesmo tempo em que relembrou a passagem do Lamarca pelo Vale do Ribeira.