Pular para o conteúdo principal

Movimentos sociais protestam na Bolsa de Valores, em São Paulo, contra políticas pró-mercado

Imagem
Arquivo de Imagem
Bolsa de Valores

"Enquanto as empresas lucram, o povo passa fome e o trabalho é cada vez mais precário. Quem segura o Bolsonaro lá são os donos do mercado!", essas foram as palavras do Movimento dos Sem Teto que está, neste momento, ocupando a Bolsa de Valores na capital de São Paulo. "Bolsonaro e o mercado estão tentando matar nosso povo de fome!", declararam.

Para protestar contra a desigualdade social, que cresceu em meio à pandemia e às políticas de austeridade fiscal do governo Bolsonaro, centenas de manifestantes ocuparam o símbolo do mercado financeiro do Brasil. Carregando bandeiras e faixas, os manifestantes reclamam da fome, da carestia e da inflação, enquanto apontam a contradição: "Brasil tem 42 novos bilionários enquanto 19 milhões passam fome". Confira imagens da ação:

Crédito: Divulgação MTST

Crédito: Divulgação MTST

Crédito: Divulgação MTST

Bolsa de Valores somou recordes de ganho em meio à pandemia

Mesmo com o acirramento da crise econômica que afeta cada vez mais brasileiros, os acionistas da Bolsa de Valores tiveram ganhos exorbitantes durante o período. De acordo com o G1, a B3 bateu recordes de negócios e chegou a acumular oito altas consecutivas. Uma série de ganhos comparável ao ano de 2018.

O sucessivo aumento da Taxa Selic prejudica ainda mais a economia real em detrimento da economia do mercado financeiro. Enquanto o último ganha ainda mais com o rentismo, a primeira sofre abalos e tem dificuldade em pegar crédito para reconstruir empresas que estão devastadas pela crise, como explicou a nota do Cofecon.