Pular para o conteúdo principal

Mercado prevê inflação acima dos 6% ao final do ano

Imagem
Arquivo de Imagem
Boletim Focus - Gráfico com seta para baixo

Agentes do mercado financeiro - cujas projeções são agregadas pelo Banco Central - projetam agora uma inflação acima da marca de 6% para o ano de 2021.

O dado consta no Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira (5). A projeção para o IPCA passou de 5,97%, no boletim passado, para 6,07% no atual.

Caso o patamar se confirme, a inflação oficial do País ficará bastante acima do teto da meta de inflação. O centro da meta de inflação para 2021 é de 3,75%, admitindo 1,5 ponto percentual para cima (5,25%, o teto) ou para baixo (2,25%, o piso). As marcas são estabelecidas pelo próprio governo e funcionam como uma declaração de objetivos para que agentes econômicos planejem suas atividades.

Para o ano que vem, os consultados pelo Banco Central estimam no novo boletim uma inflação de 3,77%, um pequeno ajuste de 0,01 ponto percentual em relação à estimativa anterior. Neste caso, o valor fica acima do centro meta inflacionária para 2022, que é de 3,5%. Com isso, o mercado financeiro espera que a taxa básica de jutos passe de 6,5% para 6,755 em 2022.

Em relação ao crescimento do PIB em 2021, houve uma projeção mais otimista, passando de 5,05% para 5,18%.