Pular para o conteúdo principal

Menos Um: Doria desiste das eleições 2022

Imagem
Arquivo de Imagem
eleiçoes

O ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou na tarde desta segunda-feira (23) a desistência de concorrer ao Palácio do Planalto.

"Para as eleições deste ano me retiro da disputa com o coração ferido, mas com a alma leve", declarou durante pronunciamento público. O anúncio ocorre dias antes da direção do PSDB se reunir para decidir seu posicionamento em relação à disputa de outubro.

Doria tentou se viabilizar na disputa presidencial criando um contraponto a Jair Bolsonaro (PL) baseado na gestão da pandemia, principalmente na questão das vacinas.

Leia também:
- Eleições 2022: Prazo para registro de federações se encerra dia 31

O tucano venceu as prévias tucanas, vencendo o ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite. Apesar da disputa interna, o derrotado apresentou em diversos momentos que tentaria driblar o resultado. Diversos caciques tucanos, principalmente Aécio Neves (MG), realizaram movimentos que favoreceram as intenções de Leite - e acabaram por desgastar as pretensões de Doria dentro do PSDB.

Colaboraram para a desistência de Doria, além da ausência de consenso no interior ninho tucano, o fato de que o PSDB buscava uma aliança com MDB e União Brasil. As duas legendas apresentaram Simone Tebet e Luciano Bivar como pré-candidatos. A União Brasil se retirou da articulação, mas o MDB manteve o diálogo com os tucanos. A existência de outras pré-candidaturas servia também como argumento dos adversários internos de Doria.

A dificuldade de Doria em emplacar seu nome em pesquisas de intenção de voto se combinou a todos os elementos que dificultavam a vida do tucano enquanto pré-candidato. O tucano aparecia sempre no último pelotão nas sondagens eleitorais.

Com a desistência de Doria, o nome de Tebet se fortalece como candidata da aliança entre PSDB e MDB - apesar de sofrer nas pesquisas eleitorais da mesma forma que o tucano.