Pular para o conteúdo principal

MEI: Como fica o auxílio emergencial para quem teve renda tributável em 2018

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Projeto de Lei que libera autônomo e MEI – que tiveram renda tributável em 2018 – para solicitar o auxílio emergencial está aguardando sanção presidencial

Milhares de brasileiros autônomos e microempreendedores individuais estão vendo seus pedidos ao auxílio emergencial serem negados, mesmo precisando muito dos R$ 600. Isso porque um dos pré-requisitos para o cidadão receber o pagamento é não ter tido renda tributável maior que R$ 28.559,70 em 2018.

Leia também:
– Auxílio emergencial: Como gerar o cartão de débito virtual para compras em supermercados
– Atenção! Saiu o calendário de pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial
– Acesse agora: Dataprev lança site para consulta do auxílio emergencial

Adicione o Whatsapp do Reconta Aí para receber nossas informações.

MEI

O fato é que, desde a declaração de imposto de renda de 2018, a vida mudou para essas pessoas. Muitos perderam o emprego e passaram a trabalhar como autônomo ou MEI. Além disso, microempreendedores individuais viram sua renda diminuir – e até zerar – nos últimos tempos.

Para resolver o problema desses brasileiros – que precisam urgentemente do auxílio emergencial – o Congresso Nacional aprovou o Projeto de Lei nº 873/2020. Dentre vários assuntos abordados no texto, ele revoga esse pré-requisito da renda tributável em 2018.

Ou seja, todo trabalhador autônomo e microempreendedor individual que recebeu mais que R$ 28.559,70 em 2018, mas viu sua renda despencar ou até zerar depois disso, terá direito ao auxílio emergencial.

O projeto de lei foi encaminhado para sanção do presidente Bolsonaro no dia 23 de abril (veja a tramitação aqui), mas até agora nada aconteceu. Somente após a assinatura do presidente é que o texto entra em vigor. Até lá, os trabalhadores continuam passando necessidade sem poder receber o auxílio emergencial.