Pular para o conteúdo principal

Lula não é comparável a Bolsonaro, mas Sergio Moro sim, afirma cientista político

Imagem
Arquivo de Imagem
lula

Apesar da tentativa permanente de colocar Lula e Bolsonaro como dois lados da mesma moeda, e Sergio Moro como uma alternativa diferente, a realidade mostra outra situação. Ao contrário do candidato petista, Bolsonaro e Moro têm muito em comum.

Além dos afetos - que fizeram a esposa da Moro dizer que Bolsonaro e ele eram "uma coisa só"; dos projetos políticos que os colocaram lado a lado em temas como meio ambiente, segurança pública e o apoio à política econômica ultralibeal de Paulo Guedes, os dois ainda se unem em mais uma coisa: a rejeição.

Fonte: Consultoria Brasilis

"Em dezembro, 64% disseram que conhecem e não votariam em Bolsonaro e 61% afirmaram o mesmo para Sergio Moro. Segundo a margem de erro de dois pontos percentuais, Moro pode estar entre 59% e 63% e Bolsonaro entre 62% e 66%. Ou seja, dentro do limite inferior da margem de erro aplicada a Bolsonaro e no limite superior de Moro, a rejeição dos dois coincide numericamente", explicou o sociólogo e professor universitário Alberto Carlos Almeida, com base nos resultados da érie de pesquisas Genial/Quaest.

LEIA TAMBÉM:
- Lula é visto por eleitores como maior contraponto a Bolsonaro

- Analista político revela que Moro tem dificuldade de conseguir votos fora do governo Bolsonaro

Além dos números, o professor destaca a grande estabilidade da rejeição e a distância entre os dois candidatos e Lula. Almeida relembra que Moro foi um dos superministros de Bolsonaro ao lado de Paulo Guedes, e essa proximidade ao atual presidente, mesmo que em um passado recente, faz com que a população os identifiquem como candidaturas parecidas. "A inércia da opinião pública é muito grande, o provável é que na rejeição eles permaneçam sendo uma coisa só”, disse, ressaltando que essa identificação não se dissolve "com tanta facilidade".