Pular para o conteúdo principal

Lista de material escolar está mais cara em 2020

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Em São Paulo, a variação de preço do material escolar pode ultrapassar 300% de um estabelecimento para outro

material escolar Foto: Cristino Martins / Ag. Pará

Janeiro é o mês oficial das despesas extras. Além de impostos como IPTU e IPVA, a lista de material escolar também causa um rombo no orçamento. E em 2020, os pais precisam se preparar pois a lista de compras da escola de seus filhos está 8% mais cara em relação à lista de 2019.

Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (Abfiae), a alta acontece por causa da elevação dos custos de matérias-primas, como plástico, tinta e papel. Além disso, a flutuação do dólar ao longo do ano passado encareceu produtos como mochilas, estojos e artigos de escrita, explica a entidade.

Para fugir dos preços altos, o ideal é realizar pesquisas de preços em várias lojas e sites. O Procon de São Paulo alerta que de um estabelecimento para outro, os preços podem variar mais de 300%.

Peso dos impostos no material escolar

Levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) para a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) revela que, além dos preços oscilarem de uma loja para outra, o peso dos tributos embutidos nos valores dos produtos é bastante alto.

Nessa linha, a caneta é a campeã, podendo ter até 49,95% do seu valor comprometido com impostos. Outros produtos também chamam a atenção na pesquisa por suas cargas tributarias elevadas: lápis (34,99%), caderno (34,99%), borracha (39,29%) e mochila (39,62%).

“Apesar de serem itens relacionados à educação, que deveria ser área prioritária dos governos, a taxação desses produtos, em especial de ICMS e IPI, é extremamente elevada”, ressalta Emilio Alfieri, economista da ACSP.

Material escolar em Brasília

O faturamento das papelarias do Distrito Federal (DF) deve aumentar em até 52% nos meses de janeiro e fevereiro deste ano. Isso porque os alunos da rede pública de ensino estão sendo beneficiados com o Programa Cartão Material Escolar. Mais de 200 papelarias já participam do programa, podendo gerar 2.000 empregos temporários.

O programa estabelece uma parceira entre o Governo do Distrito Federal (GDF) com as papelarias para oferecer preços melhores com boas condições de pagamento. Cerca de 65 mil alunos podem ser beneficiados com a iniciativa.