Pular para o conteúdo principal

Leite: caro no mercado e sem render ao produtor

Imagem
Arquivo de Imagem
leite cepea

Nem consumidores, nem pequenos rodutores de leite estão felizes com o preço do leite no Brasil. Os consumidores porque enfrentam altíssimos preços do leite e seus derivados no mercado. Já os produtores, principalmente os pequenos, amargam o resultado das secas e geadas que fizeram os custos de produção explodirem.

De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Esalq/USP (Cepea), o preço do leite captado em julho e pago ao produtor em agosto subiu 2,1% em relação ao mês anterior, chegando a R$ 2,3595/litro na “Média Brasil” líquida. Em relação ao mesmo período do ano passado, o aumento de preço pago ao produtor foi de 11,7%.

VEJA TAMBÉM:
- Variação negativa do PIB no 2º trimestre reflete o consumo das famílias, que não cresceu
- Conta de luz mais cara: Governo aprova reajuste e nova taxa extra será de R$ 14,20 a partir de setembro

Ainda assim, a produção de leite não tem sido vantajosa. O Cepea avalia que os custos de produção registram alta. O Custo Operacional Efetivo (COE) da atividade leiteira cresceu quase 13% na média Brasil de janeiro a julho deste ano, enquanto a receita subiu apenas 6% no mesmo período.

Indústrias repassam o custo do leite e dos derivados à população

Com o pagamento maior aos produtores de leite, as indústrias têm repassado o custo aos consumidores. Em São Paulo, segundo o Cepea, o leite UHT teve um aumento de 3,4%. Isso fez com que a média do produto chegasse a R$ 3,63 o litro. Já a muçarela chegou a uma média de R$ 27,81 o quilo, registrando aumento de 0,8%.