Pular para o conteúdo principal

Inflação: Saiba o que você perdeu mês a mês, além do poder de compra

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

De acordo com o IBGE, de junho de 2020 a maio de 2021 a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumula alta de 8,06%. Acompanhe o que a população perdeu em 12 meses.

A inflação de maio chegou a 0,83%, a maior taxa para o mês desde 1996, quando atingiu 1,22%, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados recentemente. O resultado também ficou acima da taxa de 0,31% registrada em abril. Com isso, a inflação acumula alta de 3,22% no ano e de 8,06% nos últimos 12 meses

Os números assustam - e com razão - pois a cada mês, os brasileiros foram lentamente perdendo seu poder de compra, enquanto dados de empregos e salários também diminuíram. Acompanhe o levantamento feito pelo Reconta Aí, com base nas informações do IBGE.

Faça parte do nosso canal Telegram.
Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

Inflação Junho 2020: 0,26%
Pressionado pelo Congresso Nacional e pela sociedade, o governo prorrogou por mais dois meses o auxílio emergencial de R$ 600. Naquele mês, mais de 12 milhões de trabalhadores sem ocupação.

Aumenta o número de feminicídios no Brasil de acordo com dados apurados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Inflação Julho 2020: 0,36%

O fogo tomou conta do Pantanal brasileiro enquanto 13,1 milhões de brasileiros seguiam desocupados segundo o IBGE. Um balanço do Caged mostrou que no 1º semestre de 2020, cerca de 1,19 milhão de vagas de trabalho foram fechadas no país.

Nas escolas, a evasão escolar cresceu, em oposição às importações. Mesmo com as crianças e adolescentes em casa, famílias puderam gastar menos com importados.

Simultaneamente, a fortuna dos bilionários brasileiros cresceu mais de US$ 34 bilhões. Entregadores de aplicativos, que se expuseram ao covid-19 durante toda a pandemia, começaram um movimento de greves cujo nome se tornou breque dos apps.

Ainda houve o anúncio do aumento de 5% no gás de cozinha.

Inflação Agosto 2020: 0,24%

Em agosto, o Brasil obteve uma safra recorde de grãos, mas a maior parte dos produtos foi para a exportação. Enquanto isso, o preço dos alimentos subia no País e o grande vilão do aumento passou a ser o arroz.

A equipe econômica de Bolsonaro, capitaneada pelo ministro Paulo Guedes, buscava criar o programa Renda Brasil. Para isso, previam cortar diversos programas sociais existentes, como o Farmácia Popular.

Nesse ínterim, mais de 3 milhões de pessoas ficaram sem salários nos quatro meses anteriores. Do mesmo modo, mais de 18,6 milhões de trabalhadores deixaram de procurar emprego no país, ou por falta de vagas ou por medo de contaminação em meio ao descontrole da pandemia.

Inflação Setembro 2020: 0,64%

Em meio à crise arroz, que chegou a R$ 45 o pacote de 5kg, o governo resolveu zerar a alíquota de importação do grão. Outra novidade da época foi início da circulação da nota de R$ 200, estampada com o Lobo Guará.

Pesquisas mostraram que os brasileiros perderam 25% da renda em 2020. Ainda assim, o preço dos aluguéis começou a aumentar, dado o aumento do índice de reajuste - o IGP-M.

Indústrias e fábricas passaram a relatar o desabastecimento de insumos, já que toda a produção brasileira estava sendo exportada devido a alta do dólar. O aumento mais comentado foi o de algodão, utilizado para fazer tecidos e com impacto em toda a cadeia de confecções.

Porém, nem só o algodão teve aumento, alimentos e bebidas, arroz e carnes seguiram pesando muito no bolso dos brasileiros. O aumento da gasolina arrochou ainda mais o ganho dos trabalhadores. O número de desempregados chegou a 13,5 milhões de pessoas.

Inflação Outubro 2020: 0,86%

Mais fogo nas matas brasileiras em outubro, dessa vez na Chapada dos Veadeiros. Suspeita-se que agricultores revoltados com o aumento da reserva ecológica da Chapa dos Veadeiros tenham sido os respondáveis pelo crime ambiental, mas nada foi apurado.

Ao mesmo tempo em que chegava ao fim o auxílio emergencial, houve o lançamento da poupança social digital. A desigualdade de renda cresceu nas capitais do país, ainda assim, o desemprego entre as domésticas segui nas alturas.

No mesmo sentido, o País atingiu a marca de 14 milhões de desempregados.

Inflação Novembro 2020: 0,89%

O Pix, sistema de pagamento instantâneo, começou a ser utilizado em todo o país. Ou quase todo, já que o estado do Amapá sofreu um apagão de 21 dias que causou o caos no estado.

Pesquisa revelou que aproximadamente 1/4 dos brasileiros vivia em casas inadequadas. E cálculos demonstraram que renda dos mais ricos era 12 vezes a renda dos mais pobres.

Inflação Dezembro 2020: 1,35%

Foi anunciado o novo salário mínimo, mais uma vez sem aumento real. Ao mesmo tempo, o SUS calculou que cerca de 700 milhões de procedimentos necessários à população deixaram de ser realizados durante o ano.

Pesquisa apontou que no Brasil havia cerca de 1 milhão de motoboys e entregadores, sendo a grande maioria informais e sem direitos trabalhistas.

Inflação Janeiro 2021: 0,25%

O Brasil foi considerado pelo Instituto Lowy o país mais ineficiente no enfrentamento à pandemia. Simultaneamente, a situação econômica dos brasileiros se deteriorava, os brasileiros encerraram o ano com recorde em dívidas e contas em atraso. A contrário, o governo chocava o país com o consumo de 6 mil latas de leite condensado ao dia.

Balanço revelou que em 2020, o Brasil perdeu 5,5 mil fábricas.

Inflação Fevereiro 2021: 0,86%

Em fevereiro o governo lutou e conseguiu a autonomia do Banco Central, além de ter anunciado uma nova rodada de auxílio emergencial, que deveria ser de R$ 200. Houve revolta com o valor, com protagonismo dos bancários, que afirmaram que o valor equivalia a apenas 1/3 do preço da cesta básica.

Inflação Março 2021: 0,93%

Março foi o mês com a maior letalidade por covid-19 no Brasil. Um novo ministro da Saúde foi chamado para substituir Pazuello, o médico Marcelo Queiroga. O número de contaminados foi tão grande, que começou a faltar medicamentos do chamado "kit intubação" nos hospitais.

Saiu o resultado do PIB do Brasil, cuja queda foi de 4,1% em 2020. Enquanto isso, o País atingiu o recorde de desempregados, cerca de 14,3 milhões de pessoas, conforme o IBGE.

Uma nova rodada do auxílio emergencial foi anunciada, com quatro parcelas entre R$ 150 a R$ 375, dependendo da composição da família.

O óleo de cozinha chegou a R$ 8,00 nas gôndolas de supermercado.

Inflação Abril 2021: 0,31%

Senadores conseguiram realizar a instalação da CPI da Covid, que visa apurar os erros e omissões do combate à pandemia.

Apesar dos lucro dos bancos ter atngido R$ 79,3 bilhões durante a pandemia, milhares de postos de trabalho e agências foram foram fechados em 2020.

O conceito de estagflação - estagnação econômica com inflação - começou a surgir nos noticiários. Analogamente, quase 20 milhões de pessoas passavam fome no País.

Inflação Maio 2021: 0,83%

A situação econômica e sanitária do País rendeu protestos contra Bolsonaro. Milhares foram às ruas em todo o País. Contribuíram para isso os depoimentos à CPI, que mostraram a recusa de vacinas e a tentativa, fracassada, do governo de conseguir a imunidade de rebanho por meio da contaminação e não de vacinas.

Com acúmulo de perda de renda, as distribuidoras de energia anunciaram que a conta de luz ficaria mais cara. O motivo foi a crise hídrica, que se somou à crise sanitária, econômica e política.

O nível de desemprego bateu mais um recorde, afetando 14,8 milhões de trabalhadores. Ao mesmo tempo, cresceu o número de desligamentos por morte em todos os setores econômicos.

Leia mais sobre desemprego no Reconta Aí.