Pular para o conteúdo principal

IBGE: Apesar do recuo, inflação de junho traz preocupação

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,53% em junho; apesar do recuo, acumula alta de 8,35% nos últimos 12 meses.

Apesar da taxa de inflação oficial do País, medida pelo IPCA, ter caído 0,30 ponto percentual em junho em relação a maio desse ano, especialistas afirmam o índice "ainda está subindo o morro". Isso ocorre porque a somatória dos últimos doze meses ainda é alta: 8,35%.

Os dados foram divulgados hoje (8) pelo IBGE.

Veja também:
- Cesta básica compromete mais da metade do salário do trabalhador
- Gasolina, diesel e gás de cozinha ficarão mais caros a partir desta terça-feira (6)

Gastos com habitação foram responsáveis pela maior alta

De acordo com o IBGE, os maiores vilões da inflação em junho foram os gastos com habitação, que tiveram alta de 1,10%. Dentro dessa área, a maior influência foi da energia elétrica, com alta de 1,95%. Apesar da alta, a energia subiu menos em relação a maio, o que é chamado por economistas de desaceleração. No mesmo sentido, outros gastos com habitação tiveram alta. A taxa de água e esgoto subiu 1,04%; o gás de botijão e o gás encanado também tiveram alta de 1,58% e 5,01%, respectivamente.

O setor de alimentos e bebidas subiu 0,43%. A alimentação no domicílio teve alta de 0,33%, principalmente por causa do aumento das carnes (1,32%). A alimentação fora do domicílio também ficou mais cara, atingindo aumento de 0,66%.

Além da inflção, como ficou o mês de junho?

O desemprego em junho se manteve no nível recorde da série histórica feita pela Pesquisa Nacional de Análise de Domicílios Contínua (Pnad-C), atingindo 14,7%. O preço médio da cesta básica medida pelo Dieese ficou em R$ 526,45, levando em conta as 17 capitais pesquisadas.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a variação dos preços para famílias com renda de um a cinco salários mínimos, e que possui peso maior dos alimentos, também subiu. O aumento foi de 0,60%, acumulando uma alta de 3,95% no ano. O índice em 12 meses ficou em 9,22%.