Pular para o conteúdo principal

Greve dos caminhoneiros tem apoio da CUT

Imagem
Arquivo de Imagem
combustíveis

O presidente nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sérgio Nobre, soltou hoje (1º) uma nota de apoio à greve dos caminhoneiros. Os profissionais da categoria estão paralisados nesta segunda-feira em todo o País em protesto ao preço do diesel, principal insumo da atividade.

"Toda vez que a gasolina sobe, todos os preços da economia também sobem. Especialmente do arroz, do feijão, da carne e do gás de cozinha", critica o sindicalista em relação ao aumento dos combustíveis por afetar a vida de toda classe trabalhadora e tirar a comida da mesa do povo. "A luta dos caminhoneiros é uma luta de toda a classe trabalhadora", enfatiza.

LEIA TAMBÉM:
- Vale diesel: Greve dos caminhoneiros está mantida para 1º de novembro

A alta no preço dos combustíveis a que Sérgio Nobre se refere é a mesmo explicado pelo doutor em economia Emílio Chernavsky. O estudioso aponta que desde o início do mandato de Jair Bolsonaro, o diesel teve uma aumento de 40%, sendo 35% apenas em 2021. O motivo da alta, conforme explica Chernavsky, é a política de preço de paridade de importação (PPI) praticado desde 2017 pela Petrobras.

Além dos caminhoneiros, os petroleiros também estão mobilizados contra o PPI, por entenderem que tal política abre caminho para a privatização da Petrobras.

Sérgio Nobre também saiu em defesa da categoria: "O famigerado governo Bolsonaro, quer privatizar a Petrobras, que é a maior empresa brasileira e instrumento de desenvolvimento do nosso País".