Pular para o conteúdo principal

Greve do Metrô de SP é cancelada

Imagem
Arquivo de Imagem
greve no metro

Na noite desta terça-feira (24), os metroviários aceitaram a proposta do Metrô de São Paulo. Por 1398 votos a favor (65,81%), 692 votos contrários (32,58%) e com 34 abstenções (1,60%), a categoria decidiu aprovar o reajuste nos salários.

"A proposta do Metrô não resolve o problema da injustiça salarial mas representa um avanço rumo à equiparação. Com relação ao índice de reajuste, ele será de 12,26% para os salários e também para VR e VA", explica o Sindicato dos Metroviários e Metroviárias de São Paulo que lembra que a reivindicação da categoria era de 20% de reajuste.

Segundo o Sindicato, o Metrô vai pagar dois “Steps”, que é um mecanismo que busca a isonomia salarial. Um será pago 31 de agosto de 2022 (referente a 2020) e o outro em 31 de janeiro de 2023 (referente a 2021). Cada “Step” representa 5% de reajuste, incorporados aos salários.

LEIA TAMBÉM:
- 13º dos aposentados: INSS inicia pagamento da 2ª parcela nesta quarta (25)
- Saque do FGTS para nascidos em agosto começa hoje (25)

"É preciso lembrar que a empresa, no início das negociações, disse que não discutiria as cláusulas sociais e que não haveria proposta para a questão dos Steps", lembra o Sindicato.

Vale ressaltar que a categoria segue na luta pela isonomia salarial, pagamento das PRs e contra a terceirização e a privatização.