Pular para o conteúdo principal

Governo revisa para pior estimativas do PIB e da inflação

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

O Ministério da Economia reviu para pior as suas próprias previsões para o Produto Interno Bruto (PIB) e para a inflação ao final de 2021. As novas projeções foram divulgadas nesta quarta-feira (17) no Boletim Macrofiscal, elaborado pela Secretaria de Política Econômica da pasta.

A área econômica do governo agora estima que a inflação acumulada ao longo de 2021 será de 9,7%. A previsão anterior era quase 2 pontos percentuais para baixo, ou seja, de 7,9%.

LEIA TAMBÉM:
- No dia internacional do estudante, Enem chega fragilizado e aparelhado pelo bolsonarismo
- Banco Mundial aponta que crescimento da América Latina é mais lento que o esperado

Em relação ao PIB, que é a soma de todas as riquezas produzidas no País na forma de bens e serviços, a Secretaria estima que o crescimento seja de 5,1%, uma variação menor do que a projetada anteriormente, de 5,3%. Para o PIB de 2022, a projeção também diminuiu, de 2,5% para 2,1%.

O Boletim Macrofiscal, em relação à inflação, se aproximou do último Boletim Focus, que apontou expectativa de que a variação geral de preços ao longo de 2021 se encerre com alta de 9,77%.

O Ministério da Economia, por outro lado, se manteve mais otimista que os agentes de mercado consultados pelo Boletim Focus, que estimaram na última edição que o PIB crescerá apenas 4,88% em 2021. .