Pular para o conteúdo principal

Governadores propõem criação de 'Pacto pela Democracia'

Imagem
Arquivo de Imagem
REUNIAO GOVERNADORES 230821

Em meio à crise entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o Supremo Tribunal Federal (STF), governadores defenderam nesta segunda-feira (23) a criação de um Pacto pela Democracia.

A proposta partiu do governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que também é coordenador do Fórum Nacional dos Governadores - o encontro dos gestores estaduais que acontece hoje, em Brasília. O Pacto pela Democracia seria nos moldes do "Pacto pela Vida", proposto pelos mesmos gestores reunião realizada em março deste ano para conter o avanço do coronavírus entre a população.

VEJA TAMBÉM:
- Em meio à tensão entre os Poderes, governadores se reúnem hoje (23) para tratar de defesa da democracia
- STF determina liberação de empréstimo de R$ 800 milhões ao Piauí

"O Brasil precisa criar um ambiente de diálogo para que possamos ter todas as condições de segurança, principalmente para os investidores, com o desafio de gerar emprego e renda. A proposta é retomarmos a ideia, junto com o Pacto pela Vida, de firmar um Pacto pela Defesa da Democracia para que possamos abrir diálogo com o Executivo, Câmara, Senado, STF, empresários, trabalhadores e termos uma comissão de respeito a todas posições politicas, esse compromisso com a democracia,à constituiçao e às instituições", disse.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), defendeu a construção do pacto. Segundo ele, os gestores não podem ficar em silêncio: "Temos o dever de fazer, defender a democracia e não se silenciar diante das ameaças que estamos sofrendo constantemente", disse.

Na última sexta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro entrou com um pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). O texto foi protocolado no Senado Federal.

Bolsonaro já havia anunciado, recentemente, em suas redes sociais, que apresentaria um pedido de impeachment contra Alexandre de Moraes e também contra outro integrante do STF, o ministro Luís Roberto Barroso, atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

No encontro entre os gestores, outros temas também foram discutidos, como a reforma tributária e o compromisso com a sustentabilidade ambiental. Dos 27 chefes do Executivo, 24 participaram (presencial ou virtual) no Palácio do Buriti.