Reconta Aí Atualiza Aí Famílias pretas e pardas têm menor renda

Famílias pretas e pardas têm menor renda

No Brasil de 2020, a probreza ainda está concentrada em subgrupos de população e as famílias pretas e pardas são as que possuem menor renda.

A Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatítisca (IBGE) trouxe um retrato da divisão de renda no Brasil. Nesse sentido, mostra que as condições históricas as quais negros e negras foram submetidos no Brasil ainda deixam suas marcas.

Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin.

A POF – realizada entre 2017 e 2018 – revela dados importantes sobre a desigualdade de renda, de consumo e de acesso a serviços.

De acordo com a pesquisa, entre os 5% com menores rendimentos no país, se a pessoa de referência da família for branca, a média de renda é de R$ 245,82. Já entre pretos e pardos, o valor é de R$ 141,98.

A pobreza concentrada

A POF trouxe dados sobre pobreza e extrema probreza. Para tanto, usou como base os valores de R$ 1,90/dia para extrema pobreza; e de R$ 5,50/dia para pobreza. Assim, a pesquisa teve como resultado que 77,8% das pessoas em pobreza ou extrema pobreza são famílias com pessoas de referência preta ou parda.

Além da questão racial, há desigualdades também entre o campo e a cidade. De acordo com a pesquisa, o campo brasileiro tem 14,7% da população. Porém, nela há 34,6% de toda a pobreza observada.

Simultaneamente, a desigualdade é encontrada em nível regional. O Norte, região em que vivem apenas 8,6% da população brasileira, contribui com 26,1% da pobreza do País.

Leia também
Quase 1/4 dos brasileiros vive em casas inadequadas

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial